Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Grupo dissidente de caminhoneiros envia aviso formal de greve ao governo

Associação diz ter influência sobre 40 mil caminhoneiros; outras lideranças relataram ao Radar Econômico pouca adesão

Por Machado da Costa Atualizado em 28 jan 2021, 09h37 - Publicado em 28 jan 2021, 09h32

Um grupo de caminhoneiros, dissidente das principais agremiações que surgiram em meio à paralisação de 2018, enviou nesta quarta-feira, 27, um aviso de greve ao governo federal. Assinado por Plínio Nestor Dias, o ofício afirma que o Conselho Nacional de Transportes Rodoviário de Cargas (CNTRC), que se diz influente sobre 40 mil caminhoneiros em 22 estados, definiu greve para o dia 1º de fevereiro. Entre as reivindicações, eles pedem mudanças no piso mínimo do frete, no Projeto de Lei da BR do Mar, a revisão da política de paridade de preços de combustíveis da Petrobras, entre outros temas. Outras lideranças, contudo, relataram ao Radar Econômico que não há ainda adesão à greve.

Caminhoneiros
Trecho do ofício encaminhado por um grupo de caminhoneiros ao ministro Paulo Guedes / Reprodução/VEJA

Frente às ameaças, o presidente Jair Bolsonaro concedeu benefícios à categoria. Indicou que trabalharia para incorporar os caminhoneiros no grupo prioritário de vacinação e que poderia rever os impostos cobrados sobre o diesel.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Publicidade