Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

E quando a nuvem cai? Instabilidade da AWS deixa negócios na mão

Serviço de cloud computing da Amazon falha às vésperas da Black Friday e aterroriza empresários

Por Machado da Costa, Felipe Mendes Atualizado em 25 nov 2020, 18h18 - Publicado em 25 nov 2020, 17h11

Um dos motivos por trás da grande aposta de empresas em transferir seus dados, softwares e infraestrutura para a “nuvem” é justamente contar com a confiabilidade de um terceirizado especializado no assunto. Mas o que fazer quando a nuvem cai? Não é igual a luz, que se pode ter um gerador, ou água, que se armazena numa caixa. Quando a nuvem cai, até que um backup entre em operação, leva-se horas ou dias, ou pode ser até mesmo inviável a depender da infraestrutura disponível. É exatamente por isto o que estão passando muitos negócios brasileiros, como iFood, Claro, Submarino e outros serviços digitais às vésperas da Black Friday.

O momento em que isso acontece é justamente o que mais aterroriza alguns empresários que reclamaram pessoalmente ao Radar Econômico. Já não bastasse o ano extremamente complicado para todos os negociantes, agora eles precisam lidar com a decisão de apostar no serviço que apresentou falhas da Amazon ou numa gambiarra interna que pode não aguentar o tráfego da principal data do e-commerce no país.

Segundo informações passadas por um porta-voz da AWS ao Radar Econômico, a instabilidade acontece em uma de 24 regiões onde os clientes podem rodar as aplicações. A orientação aos clientes tem sido mudar as aplicações de região ou optar pelo sistema de multirregional.

A AWS enviou uma nota ao Radar Econômico, que você lê, abaixo, na íntegra:

O Amazon Kinesis, serviço que permite processar e analisar dados assim que são recebidos e responder instantaneamente, vem registrando uma crescente taxa de erros na Região US-East-1, o que impactou outros serviços da AWS nesta manhã (nos EUA). Estamos trabalhando na resolução.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade
Publicidade