Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Dólar beira R$ 5,60 e bolsa despenca 3% em resposta ao novo Bolsa Família

VEJA Mercado: mercado se estressa após plano do governo de fazer parte do auxílio fora do teto de gastos

Por Diego Gimenes 19 out 2021, 17h24

VEJA Mercado | Fechamento | 19 de outubro.

Nem mesmo a montanha russa nos minutos finais do pregão após o governo cancelar o evento de lançamento do Auxílio Brasil foi suficiente para mitigar as perdas na bolsa de valores. O Ibovespa fechou em queda de 3,3%, a 110.672 pontos. Essa foi a resposta do mercado aos 25 bilhões de reais destinados ao novo Bolsa Família, fora do teto de gastos. “Decisão puramente política, uma grande derrota para a equipe econômica. Quando o governo flerta com a possibilidade de romper o teto, o mercado joga o risco lá para cima, e as ações despencam”, avalia Vitor Carettoni, diretor da mesa de renda variável da Lifetime Investimentos.

O dólar fechou em alta de 1,3%, a 5,594 reais, mas chegou a bater 5,61 reais na máxima do dia. A moeda americana cedeu levemente após o governo adiar o lançamento do Auxílio Brasil. “O leilão à vista de 500 milhões de dólares não fez nem cócegas. O mais importante é entender se a divulgação desse novo programa foi de fato mais um balão de ensaio do governo para testar a reação do mercado e, depois, revelar um outro plano, o que não seria uma novidade”, diz Carettoni. As quedas foram generalizadas na bolsa, mas os setores de aviação e construção amargaram os piores desempenhos. Azul e Gol fecharam em quedas de 9,8% e 7,2%, respectivamente, enquanto Cyrela e MRV recuaram 6,8% e 6,5%, respectivamente.

Publicidade