Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Depois da Vale, Usiminas anuncia dividendos. Vem mais por aí?

VEJA Mercado: Vale fez o mesmo em junho e Credit Suisse aposta em mais; reforma tributária pode taxar distribuição a partir de 2022

Por Diego Gimenes 27 ago 2021, 18h18

A Usiminas anunciou que vai distribuir 1,211 bilhão de reais em dividendos aos acionistas em 5 de outubro, o que significa 1,038 real por papel preferencial. O valor é referente ao lucro do primeiro semestre de 2021 e terá direito ao dinheiro o investidor que tiver posição na empresa em 31 de agosto deste ano. Em junho, a Vale pagou dividendos de 2,177 por ação. Em relatório, os analistas do Credit Suisse apostam em um dividendo gordo de 5,3 bilhões de dólares da mineradora para setembro, uma vez que a companhia teria cerca de 10 bilhões de dólares disponíveis para dividendos. Importante lembrar que a reforma tributária pode taxar em 20% esse tipo de operação em 2022. “As empresas devem intensificar a distribuição de dividendos até o final do ano para fugir da nova regra. Quando as novas leis entrarem em vigor, um caminho alternativo para remunerar o investidor pode ser a recompra de ações”, indica Rafael Bragança, sócio do escritório Daudt, Castro e Gallotti Olinto Advogados. As ações de Usiminas e Vale fecharam o pregão desta sexta-feira, 27, em altas de 6,81% e 2,50%, respectivamente.

+ A alternativa das empresas da bolsa à taxação dos dividendos

Publicidade