Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças

Crise em Manaus também respinga em Guedes

Órgão do Ministério da Economia aumentou imposto para importação de oxigênio hospitalar semanas antes de faltar o insumo

Por Machado da Costa Atualizado em 15 jan 2021, 16h18 - Publicado em 15 jan 2021, 15h00

O ministro Paulo Guedes sentiu os primeiros respingos da crise de falta de oxigênio em Manaus (AM). A Câmara de Comércio Exterior (Camex), ligada ao seu Ministério, aumentou o imposto de importação para o gás hospitalar semanas antes do estouro da crise. O tributo havia sido zerado em 25 de março de 2020, no início da pandemia no Brasil. O alarde que foi feito à época da redução, obviamente, não foi o mesmo no momento do retorno dos impostos.

Atualização 16h15: A Camex realizará uma reunião extraordinária para zerar, novamente, o imposto de importação sobre o insumo.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Publicidade