Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Brasília em silêncio tem virado sinônimo de bolsa em alta

VEJA Mercado: Ibovespa sobe diante de clima político mais calmo; dólar cai

Por Diego Gimenes 13 set 2021, 17h46

VEJA Mercado | Fechamento | 13 de setembro.

Paz. Esse é o desejo do mercado, e quando ela vem, o humor dos investidores melhora. Após um final de semana sem grandes choques na política, a bolsa subiu. O Ibovespa fechou em alta de 1,85%, a 116.403 pontos. “O mercado está respirando a ausência de barulhos, as manifestações mais fracas tiraram um pouco de lenha da fogueira. Havia sido precificado um cenário muito ruim, e hoje estamos respirando, a gente precisava de um pouco de calma”, diz Alex Gonçalves, sócio da RPS Capital. A Petrobras, uma das maiores prejudicadas na semana passada, subiu 3,51% nesta segunda-feira, impulsionada também pela alta do petróleo tipo Brent, que subiu 1% hoje. A ação da Petrobras estava descompassada em relação ao petróleo justamente por causa da instabilidade política do Brasil, já que a estatal está correlacionada ao cenário macroeconômico do país.

Os grandes bancos, como Bradesco e Itaú, fecharam em altas de 2,05% e 1,25%, respectivamente. Fechando a trinca de maior peso no índice, a Vale fechou em estabilidade mesmo diante da queda do minério de ferro na China. A Méliuz teve a maior alta do dia pelo segundo pregão consecutivo. Hoje, subiu 12,82%. “O apetite ao risco foi generalizado hoje, é preciso ressaltar isso. O nosso entendimento sobre Méliuz é que a companhia caiu bastante nos últimos dois meses, mas deve apresentar crescimento de receita no longo prazo a partir do momento em que deixa de ser apenas uma plataforma de cashback para evoluir a um processo mais completo de compra online. Fez follow-on e deve aumentar os investimentos”, diz José Francisco Cataldo Ferreira, superintendente research da Ágora Investimentos.

No lado das baixas, poucos papéis. A Suzano, que sobe quando o dólar valoriza e cai quando ele opera em baixa, fechou, hoje, em queda de 1,22%. A moeda americana fechou em queda de 0,83%, a 5,223 reais. A Totvs, que revelou seu follow-on nesta segunda-feira, viu seu papel se desvalorizar 0,52%.

+ O que é follow-on e por que a ação da Totvs caiu após ela anunciar o dela?

Continua após a publicidade
Publicidade