Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Bitcoin despenca e leva a Tesla junto

Cotação da criptomoeda se aproxima de 51 mil dólares depois de ter chegado ao pico de 60 mil dólares

Por Josette Goulart Atualizado em 26 mar 2021, 09h53 - Publicado em 25 mar 2021, 12h50

Um dia depois de a Tesla anunciar que já está aceitando bitcoins na venda de seus carros, a criptomoeda resolveu dar um mergulho. Já cai quase 8% no dia, se aproximando dos 51 mil dólares. Há menos de duas semanas, a moeda chegou a seu patamar histórico de 60 mil dólares. Muitos investidores apostam que seja só uma correção. Mesmo com a queda, a Tesla não tem do que reclamar do bitcoin. A empresa anunciou, em janeiro, que comprou 1,5 bilhão de dólares em bitcoins e em dois meses ganhou 1 bilhão de dólares. Na venda dos carros, a oscilação do bitcoin também não influencia já que os preços vão continuar cotados em dólar. 

Hoje no Twitter, a propósito, Elon Musk pediu encarecidamente que se for descoberto algum escândalo que o envolva que chamem o caso de Elongate. O bilionário também recentemente avisou à SEC, a Comissão de Valores Mobiliários americana, que agora ele tem o cargo de “Technoking of  Tesla”. Enquanto Musk brinca, as ações da Tesla chegaram a cair quase 3% na Nasdaq por conta da correção do bitcoin nesta quinta-feira, 25. No ano, a empresa perdeu cerca de 15% do seu valor.

Leia também:

  • Pesquisa mostra que brasileiro subestimou a pandemia e culpa Bolsonaro.
  • Bolsonaro marcha firme para impor agenda ideológica no ensino.
  • Em busca do tempo perdido, UE vai restringir exportações de vacinas
  • Brasil ainda perde tempo em debates sobre a falsa dicotomia entre saúde e economia.
  • Ministério da Infraestrutura: governo espera arrecadar R$ 10 bilhões com pacote de concessões.
  • STF se prepara para julgar uma ação decisiva para a quebra de patentes.
  • O futuro incerto de Sergio Moro depois da derrota no STF.
Publicidade