Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Bandeira vermelha afeta os shoppings na bolsa

VEJA Mercado: Ibovespa fecha em queda, mas papéis do setor de siderurgia seguraram o índice por expectativa de antecipação de dividendos

Por Diego Gimenes 29 jun 2021, 18h01

VEJA Mercado fechamento, 29 de junho.

Em pregão similar ao do dia anterior, o Ibovespa fechou em leve queda de 0,08%, a 127.327 pontos. Mas o setor de shoppings registrou mais um dia de baixas. Iguatemi e Multiplan fecharam em quedas de 3,74 e 2,74%, respectivamente. Segundo os especialistas, além da preocupação com a tributação dos dividendos e dos fundos imobiliários, o reajuste da bandeira vermelha de energia pode impactar negativamente o setor de duas maneiras: pelo aumento natural de custos já que  o consumo é elevado nesses empreendimentos e pela pressão do reajuste na inflação, que pode provocar novos aumentos na taxa de juros. “São dois fatores relevantes para o setor e, naturalmente, o mercado reagiria”, diz Gianlucca Montuori, sócio da Acqua-Vero Investimentos.

O setor de siderurgia recuperou as perdas de ontem e fechou no azul, mesmo com o recuo do preço do minério de ferro. De acordo com Leonardo Correa e Caio Greiner, analistas do BTG Pactual, a Vale tende a antecipar dividendos mais altos no segundo semestre de 2021 do que anteriormente traçado, o que seria um resultado para aumentar o valor para o acionista. O pagamento estimado para 2022 ficaria em torno de 15 bilhões de dólares, segundo os analistas. Os papéis da companhia fecharam em alta de 1,73%, assim como os de CSN e Bradespar, que subiram 4,10% e 2,64%, respectivamente.

Além da possível antecipação de dividendos, o spread em dólar entre o minério de ferro com alto e baixo teores do mineral subiu, ou seja, as siderúrgicas chinesas estão tentando otimizar a produção. “Outro fator importante para essas empresas é a própria valorização da moeda americana frente às emergentes. Hoje, a alta do dólar se deu pela preocupação com a variante delta do coronavírus”, analisa Rachel de Sá, chefe de economia da Rico Investimentos. O dólar fechou em alta de 0,28%, a 4,94 reais.

Continua após a publicidade

Publicidade