Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

As duas Americanas da bolsa podem virar uma só e o mercado gostou muito

VEJA Mercado: companhia informou novo plano de reorganização societária e ações sobem mais de 20% no pregão

Por Diego Gimenes Atualizado em 18 out 2021, 16h35 - Publicado em 18 out 2021, 16h34

O cenário macroeconômico para o varejo ainda apresenta desafios nos campos da inflação e dos juros, mas as ações das Americanas tiveram um respiro e tanto nesta segunda-feira, 18. A companhia revelou ao mercado que estuda uma reorganização societária que combinará seus dois papéis em negociação na bolsa. A medida surge depois de os investidores baterem no papel desde a fusão com a B2W. As Lojas Americanas já estavam listadas na B3 desde 2006, mas, em julho de 2021,  a B2W virou Americanas S.A, e, com isso, a companhia passou a ter dois papéis no mercado, sendo que o original (Lojas Americanas) se transformou em uma espécie de holding, que detém somente as ações da Americanas S.A. O plano do controlador é migrar essa base acionária para os Estados Unidos, mas, agora, o desejo é combinar os negócios no Brasil antes desse movimento internacional. “Foi identificada uma oportunidade de eventual reorganização societária anterior à listagem internacional, combinando, no Brasil, as respectivas bases acionárias das companhias na B3”, disse a empresa.

Os analistas do Bradesco BBI gostaram da jogada e disseram que foi inesperada. A proposta melhora a governança corporativa por ter apenas uma ação listada na bolsa, e simplificaria a estrutura, uma vez que o papel Lojas Americanas provavelmente seria extinto. “Não há detalhes sobre como isso será feito ou quais as relações de troca de ações, mas, dado que uma das principais motivações parece ser a melhora da governança corporativa, ficaríamos surpresos em ver algo que seria visto como injusto para os minoritários”, diz a instituição. Às 16h12, as Lojas Americanas subiam 20,5% na bolsa, enquanto Americanas S.A subia 4,2%.

Publicidade