Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Aos 16, Giovane era uma startup do vôlei. Agora, é um investidor anjo

Jogador se associa ao BR Angels e está em busca de startups do esporte

Por Josette Goulart 6 jul 2021, 10h53

Giovane Gávio, ídolo do vôlei brasileiro, agora é um investidor anjo em busca de startups do esporte. Ele se associou ao BR Angels, um grupo de 160 empresários, executivos e agora jogadores de vôlei, que investem em startups. Juntos eles têm 45 milhões de reais para investir em novas empresas e, em 2 anos, já possuem 11 investidas. O fundador da BR Angels, Orlando Cintra, reforça: “pode publicar que estamos atrás de startups de esporte”. 

Os investidores anjos se comprometem a apoiar as empresas não apenas com dinheiro, mas também com mentoria. E Giovane tem expertise em startups: “aos 16 anos, eu era uma startup. E queria ser o maior do mundo”. E foi o maior do mundo. Ganhou duas Olimpíadas e foi campeão mundial. Mas Giovane tem um interesse particular com a empreitada na BR Angels. Aprender como vender um negócio para investidores, como tem visto nas apresentações das quais já participou. Giovane está empenhado no projeto de sua esposa, uma rede de escola de vôlei para crianças.

Publicidade