Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Anitta faz Nubank ter 3 vezes mais mulheres no conselho que média da bolsa

Relatório da ONU mostra que Brasil está muito atrás no ranking de igualdade de gênero nas empresas

Por Josette Goulart Atualizado em 24 jun 2021, 13h01 - Publicado em 24 jun 2021, 13h00

Quando o Nubank anunciou que a cantora Anitta passaria a fazer parte do seu conselho de administração, a repercussão foi imediata pelo tamanho da fama e da polêmica da cantora. Mas a nomeação da Anitta, uma empreendedora de sucesso de si mesma, traz uma outra discussão importante para a mesa: a igualdade de gênero nos conselhos de administração das companhias.

O mais recente relatório de investimentos da Unctad, braço de desenvolvimento e comércio da ONU, divulgado nesta semana, mostra que a média de mulheres nos conselhos das empresas na bolsa brasileira é de apenas 12,1%, deixando o Brasil no 14º lugar de um ranking das 22 maiores bolsas de valores pelo mundo. Os números são ainda piores quando os dados refletem os cargos de presidente. Apenas 5% das empresas da bolsa brasileira possuem mulheres como presidente do conselho de administração e apenas 1% de mulheres com o cargo de CEO da empresa.

Com a Anitta, o Nubank passou a ter 3 mulheres em seu conselho de administração, representando um percentual de 37,5% do total de conselheiros ou três vezes maior do que a média das empresas brasileiras na B3. Maior até que a média das empresas listadas na Nasdaq, que é a bolsa em que o Nubank pretende abrir capital. O percentual de mulheres em conselhos de administração das empresas da Nasdaq é de 27,8%.

+O que é ESG, a sigla que sacudiu os mercados

 

Continua após a publicidade
Publicidade