Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Ações das empresas de energia disparam mesmo com crise hídrica. Por quê?

VEJA Mercado: Light, Cemig e Copel subiram fortemente

Por Diego Gimenes 1 set 2021, 19h04

Em um cenário de crise hídrica e possível racionamento de energia, imagina-se que as empresas do setor elétrico sintam negativamente os efeitos dessa anormalidade. Mas não foi o que aconteceu no pregão desta quarta-feira, 1°. E a justificativa, segundo os analistas, é o aumento extraordinário na conta de luz  que vai significar mais caixa e receita para as distribuidoras de energia. “O mercado precificou o aumento e as empresas de energia se destacaram hoje”, diz Regis Chinchila, analista da Terra Investimentos. A nova bandeira vermelha 2 terá o valor de 14,20 reais por 100 kWh, um aumento de 50% em relação ao patamar anterior e boa parte é para pagar um déficit que os consumidores têm com as distribuidoras de 5,2 bilhões de reais. As grandes companhias que distribuem energia elétrica como Light, Copel e Cemig fecharam em altas de 7,44%, 3,70% e 3,40%, respectivamente.

Publicidade