Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças

A nova acusação que pesa sobre Carlos Ghosn

Juiz francês determinou apreensão de 13 milhões de euros em bens do casal Ghosn

Por Machado da Costa Atualizado em 14 dez 2020, 14h16 - Publicado em 14 dez 2020, 14h11

Carlos Ghosn, o brasileiro que comandou a aliança automotiva Renault-Nissan-Mitsubishi, tem uma nova acusação sobre suas costas. Agora é a França que afirma que ele sonegou impostos enquanto estava à frente do conglomerado. Ele teria mentido em relação ao envio de recursos à Holanda, em 2012, enquanto ainda comandava o grupo automotivo. Posteriormente, em 2018, viria a ser preso no Japão, também por crimes fiscais. Segundo o jornal francês Liberation, um juiz francês determinou que autoridades confiscassem cerca de 13 milhões de euros (80 milhões de reais) em bens em nome de Ghosn e de sua esposa, Carole, até que as investigações sejam concluídas.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Publicidade