Clique e assine com até 92% de desconto
Paulo Cezar Caju Por Paulo Cezar Caju O papo reto do craque que joga contra o lugar-comum

Virou bagunça!

Está tudo errado no futebol brasileiro. Já falei isso mil vezes: se não investirmos pesado na base vamos enxugar gelo

Por Paulo Cezar Caju Atualizado em 13 nov 2020, 20h49 - Publicado em 9 nov 2020, 12h31

Não sei para onde caminha o nosso futebol, mas rodada após rodada do Brasileirão e convocação após convocação para a seleção, imagino que seja um poço sem fundo. A seleção é uma depressão completa. Paquetá, Vinícius Júnior, Gabriel Jesus… sinceramente, para vencer essas Eliminatórias basta fazer um cata-cata de peladeiros que eles dão conta. A impressão que me dá é que virou bagunça. Jogadores medianos fazem dois, três gols e viram craques. Parece nossa cidade desgovernada, com bares loteando as calçadas com mesas e cadeiras, ruas esburacadas e sujas, carros estacionando em fila dupla, ciclistas na contramão.

Todos sabem que sou totalmente favorável ao intercâmbio no futebol, mas que seja com qualidade. Nunca vi tantos argentinos, colombianos, venezuelanos, angolanos e até japoneses sendo contratados, todos de nível baixíssimo. Claro que há exceções. Outra coisa, Honda, Luan, do Corinthians, e Ganso se arrastam em campo. Já fui fã dos três, mas não dá mais para defender. Não precisam ser velocistas, mas devem ser competitivos. Para andar em campo é preciso ser genial.

E também não dá para trazermos um caminhão de técnicos estrangeiros de gosto duvidoso. Por que não formamos técnicos? Também acho que muitos dos nossos treinadores estão desgastados, mas não temos capacidade de formarmos novos profissionais, que resgatem nossa forma de jogar? Está tudo errado! Já falei isso mil vezes, se não investirmos pesado na base vamos enxugar gelo.

Vejam o Talles Magno, do Vasco, sobe da base sem saber chutar e cabecear. Conhece de bola, mas ninguém o lapidou. Por isso, muitos vão para a Europa e voltam. O jogo inverteu e há anos são os europeus que dão as cartas. Compram e devolvem sem a menor cerimônia, como fizeram, por exemplo, com Gabigol, Gerson e Pedro, do Flamengo. Aqui deitam e rolam porque nosso campeonato é de quinta categoria. Já já Everton Cebolinha está de volta. E os que ficam por lá são meros figurantes. A verdade é essa, aceite quem quiser.

Chorei vendo Botafogo x Bahia! E Vasco x Palmeiras? E Inter x Coritiba? Os jogadores não sabem dominar uma bola. E esse Hudson, do Fluminense, um gladiador que deveria ser expulso no primeiro minuto de jogo. Já falam que Thiago Galhardo merece uma vaga na seleção. Devo estar ficando maluco. Se bem que nessa que está aí pode até ser. Mudo de canal e vejo que o Real Madrid também perdeu de quatro e Zidane, assim como Domènec Torrent, do Flamengo, também está sendo pressionado pela torcida.

É, talvez o mundo esteja de cabeça para baixo. Para não perder o costume, seguem as pérolas da semana disparadas pelos comentaristas: “jogador que joga por dentro ou por fora” e “escalar um jogador para chegar na rebentação”. Que onda!!

UOL Esporte Clube | Assine e acompanhe transmissões de grandes jogos e programas esportivos de onde você estiver.

Continua após a publicidade
Publicidade