Clique e assine a partir de 9,90/mês
Paraná Por VEJA Correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens paranaenses. Por Guilherme Voitch, de Curitiba

Acampamento pró-Lula vai deixar proximidades da PF em Curitiba

Secretaria de Segurança diz que manifestantes aceitaram ir para o Parque do Atuba; senador Lindbergh nega e garante que mudança será para terreno próximo

Por Guilherme Voitch - Atualizado em 16 Apr 2018, 18h00 - Publicado em 16 Apr 2018, 17h02

O acampamento dos apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Curitiba vai mudar de lugar. Um acordo firmado entre a prefeitura de Curitiba e o governo do estado com PT, MST e outros movimentos responsáveis pela vigília de apoio ao petista vai transferir as barracas de lugar. Só não se sabe ainda para onde.

A Secretaria de Segurança Pública diz que os movimentos vão para o Parque do Atuba, localidade distante cerca de 3 quilômetros da Superintendência da Polícia Federal. Em entrevista concedida agora há pouco no acampamento, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou que os manifestantes estão de mudança para um terreno próximo, sem citar qual seria. “O que eu digo é que não vamos para Parque do Atuba nenhum. A presidente Gleisi me ligou agora e me disse para explicar isso. Vamos mudar as barracas para um terreno aqui perto até para facilitar para os moradores. Mas a vigília ficará aqui. Só vamos sair quando o ex-presidente Lula for solto”, disse o senador.  

No acordo, assinado nesta segunda-feira (16), estão descritas as duas opções: a ida para o Parque do Atuba ou a transferência “para uma área particular às suas expensas, desde que atendidos os requisitos legais”. O documento determina também que apenas quatro tendas podem permanecer nas ruas próximas ao prédio da PF para garantir “estrutura necessária à liberdade de manifestação”. No entanto, qualquer forma de acampamento nas proximidades da PF está proibida.

A transferência do acampamento deveria começar ainda nesta segunda-feira e deve ser finalizada até as 18h30 de quarta-feira (18). Apesar da cessão do Parque do Atuba, o custo com transporte e instalação de banheiros e barracas será todo da organização do acampamento. No novo local o movimento de apoio ao ex-presidente poderá fazer manifestações até as 21h e se usar o som, até as 19h30.

Continua após a publicidade

Em caso de descumprimento do acordo, poderá ser aplicada multa diária de 500.000 reais contra os organizadores do acampamento.

Veja abaixo a distância entre a Superintendência da PF na capital paranaense e o parque para onde a concentração de militantes será transferida:

Reprodução Google Maps/Reprodução

 

Publicidade