Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Quando Bolsonaro considera bem-vindo o apoio do PT

E segue o baile

Por Ricardo Noblat Atualizado em 12 jan 2021, 05h01 - Publicado em 12 jan 2021, 09h00

Jair Bolsonaro, que sempre se apresentou como adversário visceral da esquerda, celebrou, ontem, o apoio do PT a Rodrigo Pacheco (DEM-MG), candidato a suceder Davi Alcolumbre (DEM-AP) na presidência do Senado.

No mesmo dia, disse que gostava muito de Baleia Rossi (MDB-SP), candidato à vaga de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Câmara, mas que jamais o apoiaria porque os partidos de esquerda decidiram votar nele.

Quer dizer: desde que seja ao seu candidato, Bolsonaro não rejeita apoio da esquerda. Para os que possam se espantar com isso, não há razão para tanto. Bolsonaro criou um personagem, o do político ultrarradical de direita, e foi bem sucedido.

De direita ele é, mas de fato pouco acredita no que diz e em suas consequências. Acima de tudo está seu desejo de se dar bem e de beneficiar a sua família. Seu compromisso é com ela. O resto é uma simples questão de oportunidade, e de mercado.

O apoio do PT a Pacheco for selado em troca de cargos na direção do Senado e em comissões técnicas. O MDB de Rossi na Câmara deverá lançar candidato para enfrentar Pacheco.

Continua após a publicidade
Publicidade