Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Maia aposta que Bolsonaro morrerá na praia

Presidente da Câmara acha que desunido o centro direita poderá ficar de fora do segundo turno da eleição

Por Ricardo Noblat 17 Maio 2018, 10h00

Cerca de 30 dos 46 deputados federais do PSDB, todos empenhados em eleger Geraldo Alckmin presidente da República, almoçaram, ontem, com Rodrigo Maia (DEM-RJ) na sua espaçosa e confortável casa de presidência da Câmara, no Lago Sul de Brasília.

E saíram de lá impressionados com a certeza demonstrada pelo anfitrião de que Jair Bolsonaro (PSL-RJ), embora líder nas pesquisas de intenção de voto quando Lula está ausente delas, não sucederá Michel Temer. E mais: não chegará sequer ao segundo turno.

Foi o que ouviram dele para espanto de muitos. Maia contou que acompanha passo a passo a candidatura de Bolsonaro por meio de pesquisas aplicadas para uso do seu partido. E que elas indicam claramente que Bolsonaro bateu no teto. E que poderá começar a cair.

O almoço serviu para que os deputados e Maia concordassem que as forças de centro-direita devem procurar convergir para o apoio a um só candidato – e se possível antes mesmo do início da campanha em agosto. Do contrário, disse Maia, ela poderá nem disputar o segundo turno.

Continua após a publicidade

Publicidade