Clique e assine com 88% de desconto
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O pavão do Planalto

Capitão de bola cheia

Por Ricardo Noblat - Atualizado em 17 jun 2019, 19h57 - Publicado em 17 jun 2019, 08h00

“Ninguém governa governador”, ensinou Agamenon Magalhães, duas vezes governador de Pernambuco na primeira metade do século passado e quatro vezes deputado federal.

Se governador não é governável, quanto mais presidente da República. Em uma semana, Bolsonaro demitiu um dos seus ministros militares e o presidente do maior banco de investimentos.

Por tabela, enfraqueceu a ala militar do seu governo e aquele a quem chamou um dia de seu Posto Ipiranga, o antes todo-poderoso ministro Paulo Guedes, da Economia.

Não precisou enfraquecer o enrolado ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública. Moro enfraqueceu-se sozinho, e hoje é refém de Bolsonaro se quiser sucedê-lo ou voltar a vestir a toga.

Publicidade

Se não bastasse, deu uma encarada no Supremo Tribunal Federal ao censurá-lo por ter criminalizado a homofobia, e no Congresso, ao dizer que precisa mais do apoio do povo do que do apoio dele.

Publicidade