Clique e assine com até 92% de desconto
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro escanteia Mourão e diz que internet 5G é só com ele

Briga de cachorro grande

Por Ricardo Noblat Atualizado em 18 nov 2020, 19h59 - Publicado em 4 set 2020, 09h00

Só falta agora os filhos do capitão acusarem o general Hamilton Mourão de ser lacaio da China. Carlos, o vereador, há menos de um ano sugeriu em mensagens postadas nas redes sociais que o vice-presidente conspirava para derrubar seu pai.

Na última segunda-feira, o vice-presidente defendeu a participação da empresa chinesa de tecnologia Huawei no processo de licitação para construir a rede de Internet 5G do Brasil. Valeu-se dos seguintes argumentos:

– A Huawei tem capacidade acima de seus concorrentes e ainda não vemos empresas norte-americanas capazes de [derrotá-la]. Ela já está presente no Brasil e fornece mais de um terço dos equipamentos usados pelas operadoras da rede 4G.

Foi uma resposta de Mourão às declarações feitas na semana passada pelo embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman. Segundo o embaixador, a escolha da Huawei poderia trazer sérias “consequências” ao governo brasileiro.

ASSINE VEJA

Os riscos do auxílio emergencial Na edição da semana: a importância das reformas para a saúde da economia. E mais: os segredos da advogada que conviveu com Queiroz
Clique e Assine

O presidente Jair Bolsonaro aproveitou sua live semanal no Facebook para responder a Mourão, embora sem citá-lo diretamente:

– Vou deixar bem claro, quem vai decidir 5G sou eu. Não é terceiro, ninguém dando palpite por aí, não. Eu vou decidir o 5G. […] O Brasil é uma potência e precisa ter um sistema de inteligência robusto para poder trabalhar ali na frente.

A tecnologia 5G é a quinta geração das redes de comunicação móveis. Ela promete velocidades até 20 vezes superiores ao 4G. Em sua guerra comercial contra a China, os Estados Unidos pressionam os demais países a não fazerem negócio com a Huawei.

Continua após a publicidade
Publicidade