Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Apagão no Amapá derruba nas pesquisas o irmão de Alcolumbre

Presidente do Senado está por trás do adiamento das eleições

Por Ricardo Noblat Atualizado em 18 nov 2020, 19h44 - Publicado em 13 nov 2020, 09h00

Uma vez que o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá pediu, e que a Polícia Federal e a Agência Brasileira de Inteligência recomendaram, só cabia ao Tribunal Superior Eleitoral, presidido pelo ministro Luís Roberto Barroso, autorizar o adiamento das eleições em Macapá onde a energia elétrica é um bem intermitente desde que houve um apagão há mais de 10 dias.

Mas há algo estranho nisso, muito estranho. O apagão atingiu 13 dos 16 municípios do Estado. E só em Macapá, a capital, a eleição foi suspensa. Um dos candidatos a prefeito da cidade é Josiel Alcolumbre (DEM), irmão de Davi Alcolumbre (DEM), o todo poderoso presidente do Senado, aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro, um faz tudo dele no Congresso.

Josiel estava bem nas pesquisas de intenção de voto, com chances de vencer no primeiro turno, até que veio o apagão e alterou o humor dos eleitores. Na mais recente pesquisa Ibope, aplicada entre os últimos dias 9 a 11, Josiel despencou 9 pontos percentuais. Antes tinha 35% dos votos válidos, descontados brancos, nulos e indecisos. Agora, 26%. Ele é visto como o candidato da situação.

Os adversários de Josiel o acusam de só ter passado a defender o adiamento da eleição depois da divulgação da pesquisa. Os porta-vozes do candidato respondem que ele sempre defendeu, só que não o fazia de público. Alcolumbre, o irmão presidente do Senado, afirma que Josiel é a maior vítima política do apagão. Por quê? Alcolumbre não diz. A culpa deve ser do Ibope.

Continua após a publicidade
Publicidade