Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Modo Avião Por Tatiana Cunha As dicas certeiras de turismo e os lugares incríveis do planeta para você planejar sua próxima viagem

Os 10 lugares mais coloridos do mundo para conhecer

Seja na beira da água, nas montanhas, em locais quentes ou frios, casas e edifícios pintados em cores diferentes dão um toque especial e alegre a cidades

Por Tatiana Cunha Atualizado em 30 jul 2020, 21h04 - Publicado em 11 jan 2017, 16h15
Nyhavn, Dinamarca
Nyhavn, na Dinamarca Pixabay

Diz o ditado que a beleza está nos olhos de quem vê. Mas uma ajudinha no que já é belo naturalmente não custa nada, né?

E é exatamente isso que estes lugares, que já são lindos por si só, fizeram. Com um toque de cor pelo pedido de um governante, por uma lei ou apenas por coincidência, transformaram o que já era especial em algo ainda mais incrível.

Seja em locais muito quentes ou muito frios, na beira do mar ou nas montanhas, o colorido de suas casas, ruas e muros transformaram estas cidades ou bairros em referências.

Se você quer mais cor na sua vida neste ano que está apenas começando, que tal conhecer um destes lugares?

 

1. Saint John

Nova Brunswick, Canadá

Nova Brunswick

Conhecida por ser uma das cidades mais coloridas do Canadá _e do mundo_ Saint John começou a dar vida a suas casas e edifícios nos anos 70. Há quem diga que o processo começou para revitalizar uma área do centro. Outros afirmam que a ideia de pintar cada edifício de uma cor apareceu para deixar a cidade alegre mesmo nos meses de rigoroso inverno e muita neblina. Seja qual for a explicação o resultado é lindo. A área mais colorida da vidade é conhecida como “Jellybean Row” (algo como fileira de jujubas).

Site: http://www.saintjohn.ca

 

2. Bo Kaap

Cidade do Cabo, África do Sul

Bo Kaap

Este subúrbio histórico e colorido da Cidade do Cabo começou a ganhar cores por volta de 1760, quando várias casas da região foram cedidas a escravos recém-libertados. Eles decidiram pintar suas casas de cores alegres e vibrantes para expressar a liberdade e a alegria. Em Bo Kaap existe um museu, construído na mesma época, que conta a história da região e da vida dos escravos.

Site: http://www.capetown.travel

 

3. Nyhavn

Copenhague, Dinamarca

Nyhavn, Dinamarca

Construídas dos dois lados do canal no século 17, as casas coloridas de Nyhavn que serviram como casa de artistas dinamarqueses hoje foram transformadas em restaurantes, cafés e bares neste charmoso e colorido distrito portuário em Copenhague. A mais antiga das casas da região é a de número 9, construída em 1661 e que mantém sua forma original. Além de caminhar a pé na região, é possível fazer passeios de barco no canal.

Site: http://www.nyhavn.com

 

4. Burano

Itália

Burano, Itália

Você já deve ter ouvido falar ou até visitado a vizinha mais famosa, Murano, conhecida por seus cristais coloridos e pela proximidade com Veneza. Burano também conta com vários ateliers de vidros e cristais e é famosa também pelos trabalhos em renda. Antigamente a pesca era a principal atividade nas ilhas. Diz a lenda que durante o inverno os pescadores tinham dificuldade em reconhecer suas casas e resolveram pintá-las em cores diferentes. Hoje, a cor das casinhas e tão importante como marca registrada da ilhota que para mudar a cor de uma casa é preciso pedir autorização do governo.

Site: http://www.isoladiburano.it

 

5. Willemstad

Curaçao

Curaçao

Continua após a publicidade

Quando a gente pensa nas ilhas do Caribe logo pensa em cidades coloridas e vibrantes. Willemstad, capital de Curaçao é um perfeito exemplo disso. Patrimônio histórico da humanidade, a cidade ganhou suas cores em 1817 quando o General Albert Kikkert ordenou que as casas, então pintadas de branco, ganhassem cores. O motivo? Evitar o reflexo do sol nas fachadas claras, que piorava suas terríveis enxaquecas.

Site: http://www.curacao.com

 

6. Valparaíso

Chile

Valparaíso, Chile

Conhecida como a “joia do Pacífico”, Valparaíso é praticamente uma galeria de arte a céu aberto. Assim como Willemstad, seu centro histórico é patrimônio histórico da humanidade reconhecido pela Unesco. Seus becos e ladeiras coloridos, cheios de escadas e elevadores são conhecidos no mundo todo. Uma das cidades mais artísticas do mundo, hoje conta com a ajuda dos artistas de rua para manter sua fama _e suas cores.

Site: http://chile.travel

 

7. São Francisco

EUA

São Francisco

Conhecida por ser a cidade com a maior comunidade gay dos EUA, não é de se estranhar que as cores da bandeira do arco-íris tenham se espalhado pelas ruas da cidade. As casas em estilo vitoriano que povoam a cidade californiana ganham vida em cores diferentes. As mais famosas são as “Painted Ladies”, na Steiner Street, que já foram cenário de vários filmes e séries, como “Full House” (Três é Demais, no Brasil), mas as cores estão espalhadas por toda a cidade.

Site: http://www.sftravel.com/

 

8. Guanajuato

México

Guanajuato

Cidade mais colorida do México, Guanajuato já foi conhecida por suas minas de prata que por um período de 250 anos foram responsáveis por 30% da prata do planeta. Hoje patrimônio histórico da humanidade, a cidade é conhecida por suas casas coloridas e pelo festival anual de arte que abriga. Localizada no centro do país e entre montanhas, a melhor maneira de explorar Guanajuato é a pé.

Site: http://www.visitmexico.com

 

9. Sighisoara

Transilvânia, Romênia

Sighisoara, Romênia

Se você pensa em Transilvânia e pena logo no Drácula e em um castelo sombrio e escuro, reveja seus conceitos. Sighisoara, localizada na região da Transilvânia, é a cidade mais colorida da Romênia. Suas casas pintadas em diferentes tons e a mistura de arquitetura barroca, saxônica e medieval de suas construções fizeram a cidade ser eleita um dos patrimônios históricos da humanidade pela Unesco.

Site: http://romaniatourism.com

 

10. Pelourinho

Salvador, Bahia

Pelourinho

Impossível falar de cores e não falar do Brasil, mais especificamente do Pelourinho, um dos bairros mais conhecidos de Salvador. O Pelô, como é carinhosamente conhecido, foi um bairro residencial até meados do século passado, quando começou a sofrer um processo de degradação. A partir dos anos 80, quando foi reconhecido como patrimônio histórico da humanidade, o bairro passou a ser um centro para a cultura local, atraindo artistas e ganhando as cores que tem hoje.

Site: http://www.visitbrasil.com

Continua após a publicidade
Publicidade