Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

7 atrações que valem enfrentar qualquer perrengue para conhecer

Os lugares que fazem valer a pena encarar filas, acordar cedo, subir muitos degraus, rodar o mundo e até enfrentar a turma do pau de selfie

A cidade do Rio de Janeiro (RJ), foi reconhecida como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, em 2012, com as suas mais belas vistas, tais como o Morro do Corcovado, a estátua de Cristo Redentor, e suas áreas urbanas. A cidade sediará os Jogos Olímpicos em agosto deste ano

Seja pela dificuldade de acesso, pela distância, pelo preço ou mesmo pela muvuca que é preciso estar disposto a enfrentar, o mundo está cheio de atrações turísticas que a gente acaba desistindo de conhecer.

Por mais que a gente não saiba se irá voltar naquele local alguma outra vez na vida, às vezes dá preguiça só de pensar em encarar aquele bando de turista desesperado por uma selfie a qualquer preço. Ou de investir aquela mega grana pra viajar pro outro lado do mundo apesar de morrer de curiosidade de conhecer aquele lugar.

Mas, como eu sou da turma da hashtag #SóSeViveUmaVez e acho que dinheiro (e tempo) investido em viagem sempre vale a pena, fiz uma lista de lugares super famosos que eu acho que sim, valem o sacrifício.

Para conhece-los vale a pena enfrentar horas de fila, acordar cedo, subir um milhão de degraus, rodar meio mundo e, com dor no coração, digo que até vale enfrentar a turma do pau de selfie pra conhecer.

E você, quais lugares acha que vale a pena enfrentar perrengues para visitar?

 

1. Muralha da China

Milhares de turistas visitam a Muralha da China nesta quinta-feira durante o feriado do Dia Nacional do país

Chegar na China já é um grande perrengue. Mas vamos esquecer a fila do visto, as horas de voo, as brigas para que a fila do táxi seja respeitada, a dificuldade para o taxista te entender, blá blá blá. Você está lá. Então tem que encarar mais alguns perrenguezinhos e conhecer de perto a Muralha da China. As fotos realmente não fazem justiça à construção que se estende por mais de 21 km. Claro que como desgraça pouca é bobagem eu fui num dia muito, muito frio e chovia bastante. Como tinha só meio dia para fazer o passeio antes de voltar para casa (estava numa viagem de trabalho), fui num trecho que fica mais próximo de Pequim. E, apesar de não ser daqueles pontos mais fotografados, o impacto quando você sobe os degraus e vê aquela estrutura é indescritível. Claro que até chegar no alto você vai ter que driblar um milhão de vendedores de tralhas, centenas de turistas com seus paus de selfie e milhares de chineses (quando eu fui não estava como na foto acima ). Mas vale o sacrifício para ver de perto a estrutura que dá pra ver até do espaço.

 

2. Coliseu de Roma

Turistas visitam o Coliseu de Roma, Itália. A partir desta quinta-feira, os turistas poderão fazer uma visita inédita às galerias subterrâneas, onde gladiadores e animais eram preparados para os conflito, que estavam fechadas desde os anos 1970 e foram restauradas

Sim, eu já tinha visto um monte de fotos, já tinha estudado sobre o Coliseu na escola, já sabia o que esperar quando chegasse em Roma. Mas não estava preparada para a energia daquele lugar. Sim, os vendedores do lado de fora são irritantes, as filas podem ser grandes dependendo da época e da hora, é quase impossível fazer uma foto sem nenhum aventureiro pela frente, mas conhecer de perto o Coliseu é uma obrigação para quem vai a Roma. Quando você está ali dentro e pensa em tudo o que já aconteceu naquela estrutura construída entre 70 e 90 d.C. é de arrepiar. Dica: reserve seu bilhete online (http://www.rome-museum.com/br/bilhetes-coliseu.php) e não vá no mesmo dia ou muito perto do dia que você visitar o Vaticano, pois sua paciência para muvucas já pode estar esgotada.

 

3. Machu Picchu

Machu Picchu, Peru

A ideia de fazer uma escalada na altitude peruana pode não parecer atrativa. Mas espere até ver Macchu Picchu e você possivelmente reverá seus conceitos. Construído pelos Incas no século 15, este tesouro arqueológico e patrimônio mundial da Unesco pode ser uma das atrações turísticas mais complicadas de se visitar, mas é também uma das que proporciona maior recompensa. Para quem tem tempo e condição física, a escalada pela trilha Inca é uma experiência inesequecível. Mas você vai precisar de dois a quatro dias, terá de fazer reservas com antecedência e contar com um guia. Ah, não esqueça da altitude! Há ainda opções para subir de trem ou ônibus até o topo. Julho e agosto são os meses mais cheios e de novembro a abril é o período de mais chuvas. A dica é: planeje-se e vá, porque vale a viagem.

 

4. Acrópole de Atenas

Turistas visitam o Partenon, na Acrópole de Atenas, Grécia

Chegar no topo é complicado, a subida é ruim, especialmente mais para quem não está em boa forma física ou já não é mais uma criança . Os milhares de turistas não vão te dar uma brecha pra que você faça aquela foto que sempre sonhou. Mas ver com seus próprios olhos a grandiosidade da Acrópole com Atenas ao fundo é uma experiência inesquecível. Construída por volta de 450 a.C., ela abriga algumas das mais famosas edificações do mundo antigo, como o Partenon e o Erecteion. É parada obrigatória para quem vai à capital da Grécia. Avistá-la ao longe, no alto da colina, é lindo de dia ou de noite, quando fica a construção fica iluminada. Mas passar pelo perrengue de ir até o topo é algo que precisa ser feito.

 

5. Tempo de Sensoji em Tóquio

Templo de Sensoji, em Tóquio

É verdade que Tóquio tem um monte de outros templos, a maioria mais tranquilos e outros até mais bonitos. Mas é impossível ir à capital japonesa e não visitar o mais antigo e mais significativo templo da cidade. Não importa a hora, milhares de turistas estarão no Sensoji e se meditar é sua intenção, você precisará de muita concentração para conseguir. Mas a beleza do lugar e a energia que ele transmite valem a pena. Eu fiquei uns 20 minutos para conseguir colocar minha velinha por lá da última vez que fui. Mas usei toda minha paciência oriental e esperei. Na entrada, várias barraquinhas vendem de tudo, desde adereços budistas, sapinhos da sorte até comidas. O templo, que foi bastante destruído durante a a Segunda Guerra, fica no bairro de Asakusa e vale muito passar algumas horas caminhando pela região. Na hora do por do sol o templo ganha cores incríveis. Mas vá preparado para enfrentar a multidão _pelo menos no Japão eles são super hiper mega educados.

 

6. Angkor Wat

Angkor Wat

Já fiz até um post exclusivo sobre Angkor Wat que você pode ler clicando aqui. Mas não podia deixar de falar mais uma vez deste lugar incrível, que me deixa arrepiada só de pensar. A viagem até lá é cansativa, você precisa madrugar se quiser ver o melhor dele ao nascer do sol, turistas estão por todos os cantos, o calor e a umidade são de matar. Mas prometo que você vai esquecer tudo isso quando os primeiros raios de sol começarem a nascer e o céu ficar colorido, mostrando apenas a silhueta do templo mais famoso do Camboja. É um espetáculo de tirar o fôlego. Depois de recuperado você ainda irá perdê-lo mais algumas vezes, escalando todos os degraus que terá pela frente se quiser apreciar a visita completa. Mas eu repito, vá porque vale cada segundo.

 

7. Pão de Açúcar

Centenário do Bondinho do Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro

Não podia deixar o Rio fora desta lista, né? Lembro que da última vez que peguei o Bondinho do Pão de Açúcar foi um belo perrengue. Estava com uma amiga gringa e lembro que foi tenso o negócio até conseguirmos embarcar, apesar de ser um dia de semana normal. Muita gente, muito vendedor, muita fila… Fora o medo de sermos assaltadas, já que éramos, obviamente, turistas dando sopa por ali. Hoje já dá para comprar os ingressos com antecedência pela internet (http://www.bondinho.com.br/), o que facilita bastante as coisas, já que o Pão de Açúcar recebe, em média, 5 mil visitantes todos os dias. Só que o Bondinho é daquele tipo de passeio que ninguém pode perder. Não tenho medo de avião, amo montanha russa, mas falou em roda gigante ou teleférico eu fico verde . Não sei explicar o motivo, mas morro de medo. Eu passo mal, suo, mudo de cor, mas vou. E sempre que chega lá no alto agradeço por ter ido. A vista do Rio de Janeiro é uma das coisas mais lindas deste mundo. Tá certo que não é um passeio dos mais baratos (o ingresso normal custa R$ 76), mas vale o investimento.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Marco Quintanilha

    O Coliseu eu fui de boa em setembro e comprando o bilhete com antecedência, praticamente zero de fila.
    O Pão de Açúcar, também fora das férias, é até rápido pq o bondinho comporta muita gente e é veloz.
    O pior é o Corcovado, pois mesmo fora da alta temporada, devido ao trem ser lento fica abarrotado.

    Curtir

  2. Tatiana Cunha

    Legal saber, Marco! Obrigada 🙂

    Curtir

  3. Luis Cesar Voytena

    Dos citados, conheço apenas (infelizmente) o Coliseu. E concordo que é uma experiência única… Quanto a uma atração que considero que vale a pena qualquer perrengue para conhecer, sem dúvida o Grand Canyon. Sem dúvida, impactante!!!

    Curtir

  4. Tatiana Cunha

    Bem lembrado, Luis Cesar! O Grand Canyon é espetacular mesmo e vale a viagem. Obrigada pela participação 🙂

    Curtir