Clique e assine a partir de 9,90/mês
Modo Avião Por Tatiana Cunha As dicas certeiras de turismo e os lugares incríveis do planeta para você planejar sua próxima viagem

5 mostras de que os smartphones estragaram nossas viagens

Super úteis para os viajantes modernos, estes aparelhos também mudaram para o mal muitos dos nossos hábitos quando estamos longe de casa

Por Tatiana Cunha - Atualizado em 30 jul 2020, 20h51 - Publicado em 2 jun 2017, 16h20

Quando foi a última vez que você foi a um lugar super turístico e não encontrou uma dezena de pessoas usando aqueles paus de selfie irritantes (me desculpe se você é o feliz proprietário de um) para fazer um milhão de fotos?

E quando foi a última vez que o avião que você estava pousou e você não viu metade dos passageiros tirar o celular do modo avião (não este aqui!) e começar a checar emails, mensagens, posts em redes sociais como se o destino da humanidade dependesse daquilo?

Você se lembra a última viagem que fez e que comprou ou pediu um mapa de papel em algum lugar?

Não há dúvida de que a popularização dos smartphones (ou tablets) mudou nossa maneira de viajar.

Mudou para o bem, pois hoje em dia há um aplicativo para tudo que você precisa quando está (ou não) viajando, é possível fazer reservas, guardar cartões de embarque, traduzir palavras, converter moedas e uma infinidade de outras coisas com um aparelhinho deste nas mãos.

Mas mudou para mal também. Muitos de nós se tornaram dependentes destes objetos, alguns só veem as coisas através da tela do celular, preocupados em gravar e postar tudo que vêem à frente, e muitas vezes deixamos de viver o momento porque estamos de olho na telinha.

Como já fiz uma série de posts falando da parte boa da tecnologia nas nossas viagens, achei que era a hora de fazer um mostrando como ela também nos atrapalha muitas vezes.

Continua após a publicidade

1. Não nos perdemos mais

Em muitos casos esta é uma das vantagens de ter um celular com 4G ou Wifi quando estamos viajando. Mas um dos baratos de viajar é conhecer lugares que não esperávamos e que o acaso nos levou até eles. Já contei que uma das coisas que mais gosto de fazer quando viajo é sair andando sem um destino certo e sem um mapa nas mãos para ver o que encontro e para ser surpreendida. Quantas vezes já não planejei ir a algum lugar e “me perdi” no caminho depois de encontrar algo muito mais legal?

2. Nunca estamos totalmente desconectados

Sei que muita gente vai me xingar, mas eu sou contra Wifi em aviões. Até hoje este era (além da Embaixada dos EUA) o único refúgio onde não podíamos usar celulares. E era tão bom… Poder ficar algumas horas sem aquela neura de ver se chegou um email, se algum amigo postou uma foto nova, se aconteceu algo de novo mundo me dava uma paz enorme. Mas nem isso temos mais. Hoje em dia, se seu voo não tinha Wifi, além de jurar nunca mais voar com aquela companhia aérea, bastou seu avião tocar no asfalto que você já liga o celular e manda mensagens para cinco grupos de WhatsApp diferentes avisando que chegou bem, depois corre no Facebook para fazer check-in no seu destino, aí sobe aquelas “stories” que você fez durante o voo no Instagram. Affffff! Parece familiar?

3. Nos tornamos dependentes

Além de todas as “obrigações” que listei acima, ainda nos tornamos dependentes de outras coisas: sempre temos que ter um cabo para carregar o celular a mão, estamos sempre atrás de uma mesa no restaurante que seja perto de uma tomada, nossa primeira pergunta ao chegar a qualquer estabelecimento, seja uma loja, um bar ou um lounge de aeroporto é “qual a senha do Wifi” e por aí vai.

4. Nem sempre estamos presentes

Você estava sentado apreciando aquele por do sol lindo quando seu celular vibra no bolso da calça. É daquele grupo de WhatsApp do pessoal da academia, que está combinando a que horas vai se encontrar para correr aquela prova de 5k. Você nem vai participar porque está longe, mas não resiste a não entrar na conversa. E, quando se dá conta, já anoiteceu e você nem viu o sol se pondo. Tá, é só um exemplo, mas mostra como estando conectados em tempo integral, muitas vezes deixamos de aproveitar o que está bem na nossa frente para fazer alguma coisa que não irá mudar nossa vida nem a de ninguém. Ou então estamos tão preocupados em fazer aquele Boomerang incrível para postar no Instagram que nem paramos para apreciar o que está acontecendo na nossa frente.

Além de Wimbledon, times como Tottenham e Arsenal, da Inglaterra, também proibiram o "pau-de-selfie" em seus estádios

5. Temos que aguentar o pau de selfie

Já pedi desculpa lá no começo do post se você tem um e acha o máximo. Eu simplesmente não suporto essa invenção. Sinto vergonha alheia quando vejo uma família enorme diante de um ponto turístico fazendo caras e bocas e tentando fazer uma foto que agrade a todos. Ou um casal tentando tirar uma com carinhas de apaixonados. Ou qualquer pessoa usando aquela geringonça!! O que aconteceu com o: “Você se incomoda de tirar uma foto nossa?” ou mesmo com um “selfie tradicional” (que este sim, sou viciada confessa)? Ainda bem que em muitos lugares eles já foram proibidos! #prontofalei

Continua após a publicidade
Publicidade