Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
VEJA Meus Livros Por Blog Um presente para quem ama os livros, e não sai da internet.

‘Avô de FHC propôs fuzilar a família real’, conta Laurentino

.

Por Maria Carolina Maia - Atualizado em 13 ago 2018, 16h51 - Publicado em 24 ago 2013, 06h12

Em entrevista sobre o livro 1889, o jornalista Laurentino Gomes comenta as contradições que marcaram a troca do regime monárquico pelo republicano no país, fala do perfil aguerrido do brasileiro e, principalmente, do avô de Fernando Henrique Cardoso, alferes que propôs fuzilar a família real caso ela resistisse ao exílio – um perfil sanguinário distante do jeito manso do neto que seria presidente da República criada por ele.

.

.

Alguns estudiosos entendem que o conceito de revolução implica mudanças profundas na sociedade e participação popular. Este foi o caso da nossa República? Esse conceito de revolução é discutível. Acho que a gente nunca teve nenhuma revolução no Brasil, se tomar esses critérios. A Independência e a República, assim como a Revolução de 1930, foram movimentos de grupos restritos. O que o Brasil tem muito na sua história é golpe de Estado. Mas a gente pode dizer também que a campanha das Diretas Já, trinta anos atrás, foi uma revolução que pôs fim ao regime militar, provocou uma ruptura drástica e contou com o povo na rua. Acho que foi uma segunda Proclamação da República, uma revolução pacífica, a partir da qual estamos vivendo trinta anos ininterruptos de democracia.

Publicidade

Read more

Publicidade