Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Me Engana que Eu Posto Por Coluna A verdade por trás de manchetes falsas que se espalham pela internet. Editado por João Pedroso de Campos.

Joesley não está em estado grave, nem foi envenenado

Ao contrário do que propagam boatos em redes sociais e WhatsApp, o delator internado no Hospital Albert Einstein padece de dores no nervo ciático

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 6 dez 2017, 20h40 - Publicado em 30 jun 2017, 22h07

Dono da delação premiada que pode custar o cargo do presidente Michel Temer (PMDB) e nocauteou o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o empresário Joesley Batista protagonizou nos últimos dias boatos que circularam em redes sociais e, sobretudo, no WhatsApp.

Criadas por dois notórios blogs que vivem de espalhar notícias falsas, as mentiras fabulam sobre o estado de saúde de Joesley, internado no Hospital Albert Einstein com prosaicas dores no nervo ciático desde a última quarta-feira.

A primeira delas, inventada pelo Folha do Brasil, garante que “o estado é grave” e que o delator estaria em tratamento na UTI:

Friboi na UTI !!! O empresário Joesley Batista, sócio do grupo JBS FRIBOI e autor da delação que gerou abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer, foi internado no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, informou nesta quarta-feira (28) a assessoria do centro médico.

O hospital informou, por e-mail, que a família de Joesley solicitou privacidade. Questionada sobre os motivos da internação, a assessoria do Grupo JBS disse que aguardava boletim médico para dar mais informações, no entanto, sabe-se que o estado é grave.

Na terça, a agência de notícias Reuters divulgou que o empresário tinha dado entrada em um hospital inconsciente e fortes alterações cardíacas.

Não está descartada a possibilidade de envenenamento. A Polícia Federal deve acompanhar de perto os laudos médicos nas próximas horas.

A notícia falsa mistura recortes de informações publicadas em grandes veículos de comunicação à mais pura e simples ficção. É verdade, por exemplo, que a família de Joesley Batista e o empresário pediram privacidade em relação à estadia dele no hospital. Já a informação de que “o estado é grave” não passa de balela.

O trecho atribuído à Reuters, de que o empresário fora internado inconsciente e com “fortes alterações cardíacas”, nunca foi realmente publicado pela agência de notícias. O veículo informou no texto verdadeiro apenas que “Joesley está fazendo exames e sendo submetido a tratamento medicamentoso e fisioterápico”.

Já a chave de ouro da notícia falsa, de que “não está descartada a possibilidade de envenenamento”, criou a deixa perfeita para que outro blog cascateiro por natureza e convicção, o Sociedade Oculta, entrasse em ação.

O longo texto publicado pelo site completa a teoria criada pelo Folha do Brasil e inventa o resultado dos supostos “laudos médicos”: envenenamento por chumbinho. Leia abaixo e não se engane:

Família Batista pede Oração , [sic.] Joesley, braço de ferro da Friboi , foi internado as [sic.] pressas nessa tarde, Resultados [sic.] apontam envenenamento – ele é autor da delação que gerou abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer, [sic.]

Embora a mídia tente negar , [sic.] Joesley foi envenenado, informações vazadas em grupos de whatsapp mostram um laudo onde aponta envenenamento.

De acordo com as perícias realizadas pela Polícia Científica, a causa foi intoxicação exógena por organofosforado, substância comumente utilizada para controle de pragas e conhecida popularmente como chumbinho.

O empresário permanece internado ,Oito [sic.] exames foram realizados para se concluir a real causa da intoxicação do empresário.

Continua após a publicidade

Já estão prontos os laudos do exame de DNA, o histopatológico e o toxicológico nas vísceras. Restam ser concluídas as perícias das imagens do circuito de segurança do Restaurante onde Joesley fez sua última refeição…

Os últimos resultados deverão ficar prontos em até 10 dias. Posteriormente, o material deverá ser encaminhado para a Polícia Federal para auxiliar na conclusão do inquérito.

Através de nota oficial, a Secretaria de Defesa Social informou que não existem mais dúvidas quanto ao envenenamento . “Agora as investigações da Polícia é que vão dizer se ele tentou se matar ou foi envenenado.” [sic.] Esclareceu o assessor de imprensa da SDS Otáviano Tofoll.

Joesley fez muitos inimigos nos últimos meses , [sic.] após entregar de bandeja para o juiz Sergio Moro, vários nomes de peso na política e na economia do Brasil. Situação essa que causo [sic.] escândalos internacional [sic.] na politica Brasileira [sic.] e deu um novo rumo as [sic.] investigações e prisões relacionadas a policia federal , Lava Jato e Ministerio Publico [sic.]

O hospital informou, por e-mail, que Joesley solicitou privacidade. Questionada sobre os motivos da internação, a assessoria do Grupo JBS disse que aguardava boletim médico para dar mais informações, no entanto, sabe-se que o estado é grave. As informações vieram a [sic.] tona após vazar em grupos do whatsapp, por meio de funcionários.

Na imagem do suposto laudo de envenenamento empregada na notícia falsa (veja abaixo), é possível ler que se trata de análise produzida por um veterinário sobre a morte de um animal morto por “mão branca”, um tipo de veneno. A foto do laudo foi publicada originalmente nesta reportagem do portal G1, que tratou de envenenamentos de cães, gatos e pássaros na cidade de São Manuel (SP).

Notícia falsa Joesley Batista

Além da mentira propriamente dita sobre o envenenamento, o texto reúne todas as características de uma notícia falsa que se preze, que devem ser sempre notadas pelo leitor mais desavisado: o tom alarmista, a denúncia de um complô da “mídia” para não divulgar a informação, a abundância de erros de gramática e grafia e a invenção de autoridades e personagens com nome e sobrenome que corroboram a farsa com depoimentos fictícios.

O juiz federal Sergio Moro, cujo nome também é ingrediente certo em notícias falsas relacionadas a investigações contra políticos, vale ressaltar, não teve participação nenhuma na delação premiada de Joesley Batista ou dos executivos do Grupo J&F. Os delatores prestaram depoimentos à Procuradoria-Geral da República (PGR), chefiada pelo procurador-geral, Rodrigo Janot, e tiveram os acordos homologados pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao citar “grupos de whatsapp” como origem da notícia, a mentira também ensina que informações de fontes não citadas ou não confiáveis que circulam pelo aplicativo de mensagens devem ser vistas com profundas reservas. O autor se vale da ideia de que “se está no WhatsApp, é verdadeiro” para convencer quem normalmente pensa assim a acreditar nele. Não creia, portanto, em tudo que lê nesse ambiente. Veículos de comunicação confiáveis não deixam de noticiar fatos relevantes, sejam eles quais forem.

Se a internação de Joesley Batista com triviais dores no nervo ciático foi noticiada, obviamente haveria informações confiáveis sobre quaisquer fatos mais graves relacionados à saúde do delator.

 

Agora você também pode colaborar com o Me engana que eu posto no combate às notícias mentirosas da internet. Recebeu alguma informação que suspeita – ou tem certeza – ser falsa? Envie para o blog via WhatsApp, no número (11) 9 9967-9374.

Continua após a publicidade
Publicidade