Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Pesquisa não mostra um detalhe importante sobre Moro

Ex-juiz terá uma luta inglória pela frente

Por Matheus Leitão Atualizado em 23 nov 2021, 12h20 - Publicado em 22 nov 2021, 13h19

Além de ter que responder pelos erros cometidos na Lava Jato e a bizarrice de ter aceitado trabalhar para Jair Bolsonaro, o ex-juiz Sérgio Moro, agora candidato, precisará ralar muito – mas muito mesmo – para chegar ao segundo turno das eleições de 2022.

Basta ver a pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 22. Apesar de já aparecer como principal adversário de Lula e Bolsonaro, em terceiro lugar, Moro está a 24 pontos do petista e quase 19 atrás do atual presidente.

Se pensarmos que Moro anunciou sua candidatura no dia 10 deste mês, e a pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 19, o leitor poderá pensar: é uma vitória para Moro já aparecer à frente de Ciro Gomes, do PDT.

Moro nunca foi candidato. Ciro, já. Várias vezes, aliás. O ex-juiz aparece com cerca de 10 pontos, e o pedetista, que também se coloca entre Lula e Bolsonaro, com apenas 6. Analistas de pesquisas, contudo, já esperavam por este crescimento inicial.

Moro terá uma luta inglória pela frente. O primeiro é vencer o  obstáculo de tirar Bolsonaro do segundo turno. Por mais inconsequente e incompetente , o presidente terá a máquina na mão nas próximas eleições.

Continua após a publicidade

Bolsonaro não pode ser menosprezado. Sem nenhuma estrutura, venceu a última eleição – mesmo que ela sendo atípica e um ponto fora da curva nos pleitos brasileiros pós redemocratização.

Não há espaço para Moro e Bolsonaro no segundo turno. Depois, como esta coluna mostrou, mesmo que o brasileiro queira ver o capítulo final da novela Lula x Moro, começado anos atrás, o petista tem muita chance de vencer.

A Paraná Pesquisas fez até esse cenário. Deu Lula, claro, por 40 a 29 pontos.

É difícil para Moro se sustentar. Ele vai receber chumbo pesado dos dois lados e já tem uma grande rejeição. Além de ser mais uma tentativa de um outsider para “mudar a política”.

Se for eleito, terá apoio no Legislativo? Pelo que ele mesmo disse, quer uma coalizão de “boas pessoas” até do centrão. Sabemos que não é assim que funciona no Brasil.

Outro Jânio Quadros? Outro  Collor, “caçador de marajás”? Outro Bolsonaro? A única coisa que está absolutamente clara hoje é: o que Moro venha a ganhar de votos nas urnas no primeiro turno ele estará tirando de Bolsonaro.

Continua após a publicidade

Publicidade