Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

O que Lula e Ciro querem ter em comum com Bolsonaro

Equipes do petista e do pedetista desejam mais engajamentos de seguidores nas redes, mas não uma milícia digital artificial e propagadora de fakenews

Por Matheus Leitão Atualizado em 19 jul 2021, 10h09 - Publicado em 19 jul 2021, 09h37

O ex-presidente Lula, líder das pesquisas de intenção de voto para 2022, e o presidenciável Ciro Gomes querem ter seguidores nas redes sociais mais engajados. Ao menos mais do que tem hoje. Essa é uma meta comum para 2022, segundo apurou a coluna.

Nenhum deles quer, no entanto, uma milícia propagadora de fakenews como a da extrema-direita, que funciona em vários países do mundo. Essa máquina tem muitos robôs e artificialismo.

LEIA TAMBÉM: Lula e Ciro Gomes disputam abertamente o PSB em Pernambuco

O presidente Jair Bolsonaro se beneficiou dela de forma clara, mas testemunhou uma investigação se aproximar do seu governo com o avançar do inquérito das fakenews no Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro tem quase o triplo de seguidores no twitter que Lula, que tem o dobro de Ciro. No instagram, Bolsonaro tem nove vezes mais que Lula, que tem o dobro de Ciro.

+ Bolsonaro quer juiz para protegê-lo no STF, diz brasilianista

Até por ter mais seguidores, o presidente lidera, obviamente, as interações nas redes sociais neste ano em relação aos seus dois opositores. O único momento que perdeu foi quando Lula teve suas condenações na Lava Jato anuladas pelo ministro Edson Fachin.

Mas é preciso ressaltar novamente: engajamento de seguidores não quer dizer milícia digital criminosa que espalha notícias falsas. Se seguirem esse caminho, de evitar escalar brigadas de haters, será um passo civilizado de Lula e Ciro.

Continua após a publicidade
Publicidade