Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

NYT põe em destaque reportagem sobre ameaças antidemocráticas de Bolsonaro

Jornal mais influente dos Estados Unidos diz que investidores estão fugindo do Brasil, país que tem o maior número de mortes diárias com a pandemia

Por Matheus Leitão Atualizado em 10 jun 2020, 11h07 - Publicado em 10 jun 2020, 10h30

Um dos destaques da edição do The New York Times desta quarta-feira, 10, é uma reportagem sobre o governo Jair Bolsonaro, na qual o jornal detalha o que resumiu como “ameaças de golpe que abalam o Brasil com o aumento das mortes por vírus”. A matéria traz informações sobre declarações golpistas de integrantes do bolsonarismo, diz que os investidores estão fugindo do país e faz uma crítica às declarações do presidente favoráveis à intervenção militar.

“As mortes diárias por coronavírus no Brasil são agora as mais altas do mundo. Os investidores estão fugindo. E o presidente Jair Bolsonaro e seus aliados estão sob investigação. Em resposta ao caos, Bolsonaro está aumentando a perspectiva de intervenção militar para proteger seu controle do poder – uma perspectiva ameaçadora para um país que estava sob ditadura militar nos anos 80”, diz o The New York Times nos dois primeiros parágrafos da matéria.

ASSINE VEJA

Os riscos da escalada de tensão política para a democracia Leia nesta edição: como a crise fragiliza as instituições, os exemplos dos países que começam a sair do isolamento e a batalha judicial da família Weintraub
Clique e Assine

Apesar de afirmar que a possibilidade de uma intervenção é improvável, o jornal mais respeitado do mundo lembra declarações de um dos filhos do presidente, Eduardo Bolsonaro, que afirmou não ser mais uma questão de se, mas quando acontecerá uma “ruptura democrática”. Também cita a nota do ministro do Gabinete Institucional, Augusto Heleno, sobre ”consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional” depois de decisão do Supremo Tribunal Federal contrária ao governo.

“Mas longe de denunciar a ideia [da intervenção], o círculo interno do presidente Jair Bolsonaro parece estar clamando para que os militares entrem na briga”, afirma o jornal. A matéria ainda descreve a administração bolsonarista como um governo acuado pela trágica gestão da crise gerada pela pandemia do coronavírus, assim como por investigações relacionadas à família do presidente e a apoiadores que envolvem crimes como abuso de poder, corrupção e disseminação ilegal de informações inverídicas.

Continua após a publicidade
Publicidade