Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Guedes versus Guedes: a proposta do ministro não fez sucesso em casa

Irmã do ministro da Economia, que representa universidades particulares, criticou a proposta de substituição do PIS e da Cofins: setor se sente "abandonado"

Por Matheus Leitão Atualizado em 23 jul 2020, 09h27 - Publicado em 23 jul 2020, 07h36

A proposta do governo de criar a Contribuição sobre Bens e Serviços foi criticada por ninguém menos que a irmã do ministro da Economia, Paulo Guedes. Beth Guedes é presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup) e disse ao jornal Valor Econômico que o governo “está criando o caos na área da educação”.

A contribuição vai substituir o Pis e a Cofins, que juntas têm hoje uma alíquota de 3,65% e 9,25%. Na maioria dos estabelecimentos particulares paga-se a alíquota menor, mas agora o percentual para todos será de 12%. Beth Guedes afirmou que isso será o fim do ProUni, pelo qual as escolas privadas pagam apenas 3%. E mais, a irmã do ministro disse que o setor se sente “abandonado” pelo governo.

ASSINE VEJA

Crise da desigualdade social: a busca pelo equilíbrio Leia nesta edição: Como a pandemia ampliou o abismo entre ricos e pobres no Brasil. E mais: entrevista exclusiva com Pazuello, ministro interino da Saúde
Clique e Assine

Na verdade, Beth Guedes tem companhia. Existem vários setores fazendo as contas rapidamente e concluindo que terão que pagar mais imposto com essa primeira parte da reforma tributária que o governo quer enviar em partes, no estilo Jack.

Publicidade