Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Descaso na pandemia: cargueiro da FAB é enviado para treinamento nos EUA

Maior do país, com capacidade para transportar 26 toneladas, o avião levou 224 militares para aprimorarem técnicas de paraquedismo

Por Matheus Leitão Atualizado em 18 jan 2021, 15h20 - Publicado em 18 jan 2021, 15h16

Enquanto o país passa por um dos momentos mais complexos desde o começo da pandemia do coronavírus, com a situação se agravando em alguns estados e capitais, a Força Aérea Brasileira (FAB) enviou para os Estados Unidos uma de suas maiores aeronaves, a KC-390, com 203 militares do Exército e 21 da Força Aérea para aprimoramento de técnicas de paraquedismo. Na avaliação da FAB, que foi procurada pela coluna no início da tarde da última sexta, 15, isso não afeta o transporte de equipamentos e insumos hospitalares essenciais que ajudam no enfrentamento da Covid-19.

O avião, que só retorna ao Brasil no dia 5 de fevereiro, é o maior cargueiro já projetado e fabricado na história da indústria aeronáutica brasileira, com capacidade para transportar até 26 toneladas. Em dezembro do ano passado, inclusive, mais uma aeronave deste modelo foi incorporada à frota nacional, com a missão de atuar na Operação Covid-19. Para se ter uma ideia de sua utilidade, especialmente neste momento, um cilindro de oxigênio medicinal de 50 litros pesa 57,2kg. Portanto, em apenas uma viagem poderia carregar 454,54 equipamentos desse tipo.

Após a divulgação de que autoridades federais buscavam, junto com a embaixada brasileira nos EUA, a cessão de um avião americano para levar o oxigênio para Manaus, a coluna entrou em contato com a FAB para perguntar se a ausência do cargueiro atrapalharia a logística para a aquisição de vacinas, e também no socorro ao Amazonas, que clama por doações de cilindros de oxigênio para tratar pacientes que estão internados nas UTIs, entre a vida e a morte.

À coluna, a Aeronáutica confirmou que “a aeronave que se encontra no exercício operacional Culminating, refere-se a uma das quatro unidades que pertencem ao 1º Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) e que está realizando, juntamente aos tripulantes da FAB, treinamentos fundamentais para o aprimoramento da utilização da aeronave, ressaltando que a capacidade operacional e de atuação do KC-390 são obtidas mediante o acúmulo de experiências em exercícios conjuntos como esse”.

Destacou ainda que a FAB tem atuado no transporte de “equipamentos hospitalares e no traslado de pacientes com o objetivo de minimizar os impactos no sistema de saúde de Manaus”.

Segundo a nota enviada à coluna, “na quarta-feira (13), duas aeronaves KC-390 Millennium decolaram rumo à capital amazonense com 25 toneladas de carga, incluindo barracas climatizadas, climatizadores e geradores, entre outros insumos de saúde. Já na quinta-feira (14), outras duas aeronaves C-130 Hércules pousaram no estado do Amazonas com mais de 18 toneladas de cilindros de oxigênio. Em outra missão na manhã desta sexta-feira (15), uma aeronave KC-390 Millennium decolou de Recife (PE) transportando 8,5 toneladas de material hospitalar, camas, tendas, geradores e barracas para Manaus”.

Outros transportes também estão programados, segundo a assessoria da FAB. “O planejamento é de que partirão voos de Manaus (AM) com destino a São Luís (MA), Teresina (PI), Natal (RN), João Pessoa (PB), Brasília (DF) e Goiânia (GO), conduzindo pacientes e profissionais de saúde”.

Continua após a publicidade
Publicidade