Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Ciro Gomes e a nova teoria da conspiração sobre Lula

Pedetista passou dos limites ao falar que o ex-presidente trabalhou pelo impeachment de Dilma

Por Matheus Leitão Atualizado em 14 out 2021, 09h41 - Publicado em 13 out 2021, 18h29

Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa. O leitor deve estar pensando que eu escrevo este texto da mesa de bar, mas não. É do meu escritório mesmo. Ciro Gomes passou de todos os limites agora.

Uma coisa é o pré-candidato à presidência da República do PDT querer ser a voz da terceira via, contratar o ex-publicitário petista acusado de corrupção (que fez delação premiada, não esqueçam disso) e bradar “Nem Lula, Nem Bolsonaro”.

Mas dizer que o líder das pesquisas eleitorais do ano que vem, Lula – portanto, seu adversário – conspirou para a concretização do impeachment de Dilma Rousseff é demais. Passa de todos os limites.

“Eu atuei contra o impeachment, e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem liderou o MDB nessa investida? O Eunício Oliveira. Com quem o Lula está hoje? Hoje eu estou seguro que o Lula conspirou pelo impeachment da Dilma, estou seguro”, afirmou Ciro Gomes ao Estadão. Aliás, algo que ele não pode provar.

Lula lutou até o fim para evitar o impedimento de Dilma. Mas o Ciro – e quem acompanha Brasília nos últimos 20 anos sabe – é o rei da teoria da conspiração. É dele. Toda hora ele inventa uma nova teoria para tentar chamar os holofotes para si.

Disse neste espaço e repito. Nem João Santana conseguirá fazer Ciro virar a opção de centro – pedetista tem contra si temperamento explosivo e visão muito estatizante da economia.

Outro dia, presenciei Lula sendo bastante cortês com o seu antigo ministro, hoje rival: o petista disse ser grato pelo trabalho prestado pelo pedetista a ele e que o país nunca verá ele falando mal do pré-candidato.

Ciro é Ciro. Lula é Lula.

Continua após a publicidade
Publicidade