Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Bolsonaro quer ligar o forno de pizza

Na conversa com um senador, presidente mostra que deseja atrapalhar a CPI antes mesmo dela ter sido instalada

Por Matheus Leitão 12 abr 2021, 11h19

A semana será dominada pela CPI da Covid. E o assunto, na verdade, começou no próprio domingo, 11, quando o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) divulgou o áudio da conversa dele com o presidente da República. Nela, Jair Bolsonaro o pressiona a ampliar o escopo da CPI para incluir governadores e prefeitos. Ou seja, o presidente quer ligar o forno para assar a pizza antes mesmo de separar o trigo da massa.

Nesta terça, 13, o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado, vai instalar a CPI, como determinou o ministro Luis Roberto Barroso, cumprindo a Constituição. Neste momento, o que está acontecendo é a tentativa de que os senadores retirem assinaturas. São 33 os signatários.

O pedido protocolado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), de incluir governadores e prefeitos, foi realizado antes do telefonema, mas o fato determinado pela Justiça é o de investigar as falhas e omissões do governo federal na Covid-19, particularmente na tragédia de Manaus.

O que Bolsonaro disse a Kajuru é que, se não investigar governadores e prefeitos, a CPI ouviria apenas Pazuello e faria um relatório “sacana”. Quem errou desde o começo nessa pandemia  foi o governo federal e isso precisa ser investigado. Ampliar o fato determinado é uma forma de tentar fazer a CPI não andar, não produzir um bom relatório, fingir que investiga. Ou seja, assar uma pizza.

Continua após a publicidade
Publicidade