Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Alexandre de Moraes x Augusto Aras

Ministro do STF vai analisar se o chefe do Ministério Público deve ser investigado por omissão em relação a atos do presidente da República

Por Matheus Leitão Atualizado em 20 ago 2021, 13h33 - Publicado em 20 ago 2021, 13h16

Não é só o presidente Jair Bolsonaro que vai enfrentar a mão de ferro do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O procurador-geral da República, Augusto Aras, acusado de ser fiel escudeiro de Jair Bolsonaro e sob grande pressão da própria corte, também. Moraes vai ser o relator da ação que pede que o chefe do Ministério Público seja investigado por omissão em relação a atos do presidente da República.

A notícia-crime foi impetrada no STF pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Fabiano Contarato (Rede-ES). Por ter sido protocolada por dois políticos, a ação perde um pouco a sua força. Mas a questão aqui não é nem essa. E, sim, como o Supremo já deu vários sinais de que perdeu a paciência com Aras. Quando digo STF, estou dizendo na verdade… vários ministros. Entenda aqui.

Além disso, Alexandre de Moraes tem sido firme – extremamente duro na caneta – ao tomar suas decisões, especialmente no que diz respeito aos arroubos autoritários de Bolsonaro e no combate à máquina que ajudou o político carioca ser eleito presidente da República: as fakenews.

Taí um processo que vale a pena acompanhar. Essa notícia-crime chegou a ser distribuída para a ministra Carmen Lúcia, mas a magistrada devolveu o caso para redistribuição do STF alegando que poderia haver “prevenção” de Moraes. Ou seja, que ele já estaria tratando do mesmo tema na corte. Por isso, o caso acabou nas mãos de Alexandre de Moraes.

Alexandre, aliás, tem feito um trabalho quase impecável nas ações contra os devaneios antidemocráticos deste tempo que vivemos. O magistrado vai manter a mesma toada ao avaliar o trabalho de Augusto Aras?

Na semana passada, por exemplo, o ministro autorizou a prisão do presidente do PTB, Roberto Jefferson, e afirmou que a Procuradoria-Geral da República não se manifestou no prazo devido sobre o pedido. É esperar para ver. Tic tac, tic tac, tic tac

Continua após a publicidade
Publicidade