Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

A surpresa da CPI na última hora

Reunião final na casa de Tasso Jereissati define ataque organizado da Comissão contra Bolsonaro

Por Matheus Leitão Atualizado em 20 out 2021, 09h22 - Publicado em 20 out 2021, 08h51

Na última reunião de pacificação da CPI da Covid-19, realizada na casa do senador Tasso Jereissati, mudou-se completamente o procedimento de leitura do relatório final da Comissão que fustigou o governo Jair Bolsonaro nos últimos meses.

Após a Comissão perder o prumo nos últimos dias, como mostrou a coluna, os senadores se encontraram e decidiram que será lido somente o relatório do relator Renan Calheiros, e, em seguida, será dado vista coletiva aos outros senadores.

Antes, estava decidido que, após a leitura de Renan, com vista podendo ser pedida durante todo o tempo, ia começar a declamação dos votos em separados, apresentados por Alessandro Vieira, e os governistas Marco Rogério, Eduardo Girão e Luiz Carlos Heinze.

Com a alteração, simplificou-se o procedimento, o que deixará mais claro a informação que chegará à casa dos brasileiros, aumentando o impacto contra o governo federal e o presidente.

A leitura dos votos dos governistas, para se ter uma ideia, ficou apenas para terça-feira, 26, com um distanciamento muito maior da posição do relatório de Renan, o que é péssimo para o gestão Bolsonaro.

Em tempo: o acordo foi realizado na casa de Tasso Jereissati porque o presidente da CPI, Omar Aziz, que recebia esse tipo de encontro, ficou chateado com o vazamento dos últimos dias.

Continua após a publicidade

Publicidade