Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tiros, sofá, posts e polêmicas: o domingo dos Bolsonaros nas redes sociais

Em dia sem agenda oficial, família posta fotos de momentos de intimidade do presidente; filhos falam sobre morte de PM, porte de armas e críticas ao governo

O presidente Jair Bolsonaro não teve nenhum evento oficial na sua agenda durante este domingo, 6, mas ele e seus filhos políticos – o vereador Carlos, o senador eleito Flávio e o deputado federal Eduardo – tiveram um dia agitado nas redes sociais.

Eduardo foi, de longe, o mais ativo: publicou ou retuitou ao menos 15 posts no Twitter (também usou o Instagram), com assuntos que vão do porte de armas às críticas à ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, passando por filas no aeroporto de Florianópolis e crise da Venezuela.

O destaque, porém, é um vídeo no qual ele afirma que comprou uma arma de fogo nova e que irá testá-la. A seguir, imagens dele disparando várias vezes, em um local destinado à prática de tiros.

View this post on Instagram

A primeira coisa que se deve fazer quando você recebe um novo armamento é testá-lo. Normalmente quem anda armado gosta de armas, mas além de divertido isso também é um treinamento. Não existe estar "preparado" para um tiroteio, o que existe é treinar para reduzir os riscos. Já vi caras muito bom de tiros morrerem em assalto, até dentro de suas casas. E já vi senhorinhas com revólveres da família, há décadas sem uso, matarem seus agressores e sairem vivas. Então se você se apegar ao discurso do "essa pessoas não teve preparo para essa situação" na verdade você estará caindo na armadilha desarmamentistas que cria falsos fundamentos para cercear o acesso a armas de fogo subjugando outras pessoas. Se você cair nessa ladainha você vai querer dizer que a maioria das pessoas não tem capacidade para ter uma arma, porque você na imagina senhorinhas armadas, não imagina pessoas muito magrelas ou muito gordas armadas, assim, você estará com a mentalidade da maioria dos governantes: "você não sabe o que é melhor para você, mas eu sei". Como isso afeta a sua vida? Exemplo: alguns estados do Brasil proíbem haver saleiro nas mesas dos restaurantes, você tem que pedir sal se você quiser. Essa lei existe porque os governantes destes estados (governadores e deputados) leram que sal faz mal para a saúde. Talvez você num primeiro momento curta isso, mas e se amanhã falarem que carne faz mal e fecharem as churrascarias? "Ahhhhh Eduardo, pare de viajar!". Ok. Nos anos 60/70 o cigarro era algo charmoso, se nesta época você proibisse a propaganda de cigarro nos meios de comunicação, proibisse fumar em ambientes fechados e em prédios públicos, aumentassem em 100% os impostos sobre o fumo de uma só vez, certamente as pessoas falariam "você é louco?!" Mas ano após ano trabalhando essa temática, hoje é real que as pessoas quase fazem sinal da cruz ao passar por alguém fumando. Mensagem: não deixem que os outros pensem por você, você é quem sabe como você deve viver e eu defendo essa sua liberdade, desde que isso não atinja a liberdade das outras pessoas – Local: sede campestre do @clube38 , pistola customizada pela @cerakotebrazil e @cerakotecolombia .

A post shared by Eduardo Bolsonaro 1720 (@bolsonarosp) on

 

Tanto ele quanto Carlos, Flávio e o pai postaram comentários sobre a morte do policial militar Daniel Henrique Mariotti, quando tentava evitar um assalto na Linha Amarela no Rio.

 (Reprodução/Reprodução)

 (Reprodução/Reprodução)

 (Reprodução/Reprodução)

Carlos Bolsonaro postou uma foto dele e do pai sentados em uma sala, ambos ao celular: enquanto o filho olha a tela, o pai ouve um áudio. O presidente também postou no Instagram foto dele deitado no sofá, de novo mexendo no celular.

 (Reprodução/Reprodução)

O presidente, além de postar fotos suas e lamentar a morte do PM no Rio, também publicou um vídeo no qual sugere que dois presos estariam se auto-mutilando dentro do carro policial antes de entrar em uma audiência de custódia, com o objetivo de prejudicar a polícia.

 (Reprodução/Reprodução)

O post mais polêmico do Bolsonaro pai, no entanto, foi ao retuitar uma publicação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que expôs um contrato de R$ 28,7 milhões firmado pelo Ibama no final da gestão Michel Temer. O presidente comentou: “Estamos em ritmo acelerado desmontando rapidamente montanhas de irregularidades e situações anormais que estão sendo e serão comprovadas e expostas”.

Logo depois, no entanto, após polêmica com a própria presidente do Ibama, Suely Araújo, que emitiu nota defendendo o contrato e criticando o governo e o post do ministro, Bolsonaro apagou o seu comentário.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s