Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Suplicy dança e pula em festival ‘Lula Livre’ e vídeo viraliza

Petista assistia a show da banda Baiana System em SP e era abraçado por jovens; usuários do Twitter elogiaram condição física do petista

Por André Siqueira - 4 jun 2019, 20h29

O vereador de São Paulo Eduardo Suplicy (PT) foi visto esbanjando vitalidade e alegria no show da banda Baiana System, no festival Lula Livre, que ocorreu na Praça da República, na capital paulista, no domingo 2.

Aos 77 anos de idade, o ex-senador curtia o som do grupo, especificamente a música Lucro (Descomprimindo), em uma roda de entusiastas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Todos pulavam, incluindo Suplicy, que era abraçado por jovens. Em seguida, eles abrem um espaço para o vereador paulistano dançar sozinho. Ele toma o centro da rodinha e passa a gesticular com os braços, pulando, em uma coreografia espontânea. O vídeo foi compartilhado por usuários no Twitter, e viralizou.

A condição física de Suplicy também impressionou outros usuários: “Na boa, quero envelhecer que nem o Suplicy”, tuitou um; “Sonho: chegar na beirada dos 80 anos com a disposição e alegria de viver do Suplicy”, admirou-se outro; “Gente, o Suplicy com 77 anos pulando no festival Lula livre, eu não consigo ficar até as 3hrs em uma balada”, comparava outro tuíte.  

Esta não é a primeira vez que Suplicy é flagrado em “rolês aleatórios”. Na semana passada, o vereador foi visto de sunga em um ato contra a violência no Rio de Janeiro.

Em outro vídeo icônico da internet brasileira, o petista aparece em um show do grupo Racionais MC’s, concentrado nos versos da música Eu Sou 157, cantada pelo vocalista Mano Brown.

Em 2016, Eduardo Suplicy foi detido pela Polícia Militar em uma ação de reintegração de possa na Zona Oeste de São Paulo. Segundo a PM, ele desobedeceu a ordem dos oficiais de Justiça de desobstruir a via e teve que ser retirado do local pelos policiais. À época, o governo do estado de São Paulo, comandado pelo tucano Geraldo Alckmin, afirmou que o petista se aproveitou “da fragilidade de famílias para tumultuar uma reintegração de posse”. Suplicy foi liberado três horas depois.

Publicidade