Clique e assine a partir de 8,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Russomanno evita se considerar de direita: Nunca discuti ideologia

Perguntado sobre a possibilidade de Bolsonaro participar da sua campanha, Russomanno responde: 'Tem que perguntar para ele'

Por Eduardo Gonçalves - Atualizado em 2 out 2020, 00h30 - Publicado em 2 out 2020, 00h07

Apesar de alardear a todo tempo que é “amigo de longa data” do presidente Jair Bolsonaro, o candidato do Republicanos à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, evita se considerar como um político de direita. Questionado sobre com qual espectro político mais se identifica, Russomanno desconversa. “Nunca discuti ideologia”.

Durante o debate, os adversários não perdoaram a falta de posicionamento de Russomanno e lembraram que ele já se declarou apoiador da petista Dilma Rousseff em campanhas anteriores. Deixando de lado o passado, ele tentou aproveitar todas as oportunidades para frisar que é o único candidato que tem amizade com Bolsonaro. E narrou com tons de melodrama um encontro recente que teve com o presidente: “Ele pegou no meu braço e disse: Celso, cuide de São Paulo”.

Já ao ser perguntado se Bolsonaro participaria de seu programa de TV, antes do início do debate, Russomanno não demonstrou a mesma firmeza: “Tem que perguntar para ele”. Líder nas pesquisas de intenção de voto, o candidato do Republicanos foi um dos principais alvos dos primeiros blocos de debate junto com o prefeito Bruno Covas (PSDB), que tenta a reeleição.

Na chegada ao primeiro debate, Russomanno também sinalizou que pode não participar dos próximos debates televisivos caso não vá todos os candidatos que têm direito pela lei. A mensagem é um recado à Rede Globo, que, a fim de evitar aglomerações nos estúdios, cogita reunir somente os primeiros colocados nas pesquisas.

Continua após a publicidade
Publicidade