Clique e assine com até 92% de desconto
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Recife: Marília Arraes cresce, mas perderia para João Campos no 2º turno

Segundo o Datafolha, candidato do PSB permanece isolado na liderança, com 31%, enquanto a escolhida do PT se distancia dos políticos mais à direita

Por Redação Atualizado em 5 nov 2020, 19h34 - Publicado em 5 nov 2020, 19h33

A candidata do PT à prefeitura do Recife, Marília Arraes, cresceu na última pesquisa realizada pelo Datafolha e se distanciou dos demais políticos que disputam com ela uma vaga no segundo turno da eleição municipal. A liderança isolada segue com o candidato do PSB, João Campos, que tem 31% das intenções de voto.

Na segunda posição, Marília passou de 18% para 21% das intenções de voto. Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, ela está tecnicamente empatada com os candidatos Mendonça Filho (DEM) e Delegada Patrícia Domingos (Podemos), mas apresenta uma tendência de crescimento maior do que os oponentes. Mendonça oscilou de 15% para 16%, enquanto Patrícia caiu de 16% para 14%. Votos brancos e nulos são 12%. Outros 3% não souberam responder.

Uma projeção de segundo turno aponta que João Campos venceria Marília Arraes com 43% das intenções de voto, contra 35% da candidata petista. Os dois são primos — João Campos é bisneto e Marília é neta do patriarca da família, o ex-governador Miguel Arraes. João Campos também derrotaria numa disputa hipotética o ex-ministro Mendonça Filho (49% a 33%) e a Delegada Patrícia (50% a 31%).

No levantamento, a Delegada Patrícia, que vinha ascendendo nas pesquisas, apresentou pela primeira vez o maior índice de rejeição entre todos os candidatos. Ela é rechaçada por 35% dos entrevistados. Em seguida, aparecem João Campos, com 34%, e Mendonça Filho, com 32%.

A pesquisa do Datafolha, feita em parceria entre o jornal Folha de S.Paulo e a TV Globo, ouviu 924 eleitores presencialmente entre os dias 3 e 4 de novembro.

Continua após a publicidade
Publicidade