Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PSL troca o seu líder na Câmara e volta a ficar próximo de Bolsonaro

Visto por colegas como conciliador, Felipe Francischini (PR) substituirá Joice Hasselmann (SP), desafeta do presidente e de seus filhos

Por João Pedroso de Campos - Atualizado em 5 jun 2020, 14h25 - Publicado em 5 jun 2020, 14h09

Depois de meses de tensão, as alas do PSL ligadas ao presidente Jair Bolsonaro e ao presidente do partido, Luciano Bivar, sinalizam uma trégua, movimento que se somará à aliança de Bolsonaro com o Centrão para fortalecê-lo no Congresso. A bandeira branca foi hasteada na bancada do partido na Câmara com a escolha do deputado Felipe Francischini (PR) como líder do partido, em substituição à deputada Joice Hasselmann (SP), que ficou dois meses no cargo e passará a se dedicar à campanha pela prefeitura de São Paulo. Embora o nome de Francischini tenha sido confirmado, a troca ainda não foi oficializada pela Câmara.

Com parte dos deputados bolsonaristas suspensos das atividades partidárias na Câmara, Felipe Francischini assumirá a liderança com apoio da ala bivarista, que temia perda de capital eleitoral com um afastamento em relação ao presidente, em um movimento também articulado por aliados próximos de Bolsonaro.

A posição considerada “conciliadora” de Francischini, de não ter confrontado o presidente depois do rompimento dele com o PSL, em novembro, será reproduzida em sua liderança e contrasta com a postura francamente crítica de Joice, ex-líder do governo no Congresso e hoje desafeta do presidente e de seus filhos. Enquanto comemoravam a ascensão do futuro líder, deputados bolsonaristas tripudiavam da saída de Joice da liderança nas redes sociais e uma hashtag ofensiva à deputada ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter na noite desta quinta-feira.

Publicidade