Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PSDB mineiro sai em defesa de Aécio em atrito com Doria

Dirigente diz que tucanos paulistas confundem os interesses do partido com 'vontades pessoais'

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 26 jul 2021, 08h26 - Publicado em 25 jul 2021, 18h41

O presidente do PSDB em Minas Gerais, Paulo Abi-Ackel, criticou a postura da ala paulista do partido na briga pública entre tucanos deflagrada na semana passada.

Um racha se formou na legenda depois que os grupos ligados ao governador de São Paulo,  João Doria, e ao deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) entraram em choque. 

Aécio criticou na semana passada as pretensões eleitorais de Doria, possível candidato do partido à Presidência da república no ano que vem. 

Doria não é consenso na legenda, que fará prévias para definir quem enfrentará Jair Bolsonaro e Lula nas urnas em 2022. Entre os tucanos no páreo estão o atual governador do RS, Eduardo Leite, o senador Tasso Jereissati, e o ex-senador Arthur Virgílio.   

Aécio disse que Doria, ao insistir com sua candidatura, estaria isolando o partido, que correria o risco de virar uma sigla nanica. O deputado mineiro chegou a sugerir que o partido não lançasse candidato à presidência no ano que vem. 

A declaração deu início a um tiroteio entre tucanos. Doria criticou Aécio e o presidente do PSDB em São Paulo, Marco Vinholi, reforçou a posição do governador. “Aécio Neves está a serviço de tudo, menos do PSDB. Ele atua contra o partido”, disse Vinholi a VEJA. 

Continua após a publicidade

Agora foi a vez de o presidente do PSDB em MG se solidarizar com Aécio. Neste domingo, a executiva estadual do partido enviou a VEJA uma nota em que critica a postura dos paulistas. 

Segundo o presidente do PSDB mineiro, Paulo Abi-Ackel, as declarações de Vinholi “só contribuem para aumentar as dificuldades de Doria junto aos militantes mineiros e filiados no resto do país”. 

“É lamentável ver que o PSDB de SP acredita que os interesses do partido se resumem aos interesses locais ou a vontades pessoais. Essa parece ser uma ala partidária que não aceita divergência e nem discussão sobre o futuro do PSDB ou sobre alianças para 2022”, diz o dirigente na nota.

Confira a íntegra da nota de Paulo Abi-Ackel:

“Lamento as declarações dadas pelo presidente do diretório tucano paulista que só contribuem para aumentar as dificuldades do Governador Doria junto aos militantes mineiros e aos filiados em todo o país.

É lamentável ver que o PSDB de SP acredita que os interesses do partido se resumem aos interesses locais ou a vontades pessoais.

Essa parece ser uma ala partidária que não aceita divergência e nem discussão sobre o futuro do PSDB ou sobre alianças para 2022.”

Continua após a publicidade
Publicidade