Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Prevent Senior, que usou cloroquina contra a Covid, será chamada pela CPI

Presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), fez anúncio em depoimento da médica Nise Yamaguchi; rede teve estudo com pacientes suspenso por órgão científico

Por Da Redação Atualizado em 1 jun 2021, 18h22 - Publicado em 1 jun 2021, 17h09

O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou nesta terça-feira, 1º, que vai convocar representantes da rede de saúde privada Prevent Senior para depor na comissão que investiga as ações do governo no combate à Covid-19.

O anúncio foi feito durante audiência com a médica oncologista Nise Yamaguchi, que foi parceira da Prevent Senior na realização de estudos clínicos com pacientes sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da doença.

Embora o medicamento não tenha eficácia comprovada contra a Covid-19, ele tem sido bastante defendido por Yamaguchi – inclusive durante o seu depoimento à CPI. Ela atua como uma espécie de conselheira informal de Jair Bolsonaro para o combate à pandemia e é apontada como integrante de um gabinete paralelo que assessora o governo na elaboração das políticas contra o coronavírus.

A afirmação de Aziz foi feita quando o senador Otto Alencar (PSD-BA) realizava um duro questionamento à senadora sobre de onde ela tirava as conclusões de que a cloroquina pode ajudar na cura de pacientes com Covid-19 e citava estudos internacionais conceituados que apontavam exatamente o contrário. Alencar dizia que queria os nomes, endereços e CPFs das pessoas que passaram pelo tratamento.

“Senador, com a Prevent Senior foi feita essa pesquisa e nós vamos trazer a Prevent Senior para saber. É onde a doutora Yamaguchi trabalhou. Aí nós vamos pedir todo o trabalho que foi feito lá, que deve ser um trabalho muito aprofundado”, afirmou Aziz.

Prevent Senior
Unidade da Prevent Senior em São Paulo: rede de saúde que bancou tratamento da Covid-19 com cloroquina vai ser chamada pela CPI da Pandemia Reprodução/VEJA

O estudo feito pela Prevent Senior com pacientes tratados com cloroquina e azitromicina ocorreu no início da pandemia, em abril de 2020, mas foi suspenso pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) por uma série de irregularidades éticas, que incluíam o início da pesquisa antes de autorização, a aplicação do coquetel em pacientes apenas com suspeitas de Covid-19 (quando a requisição de estudo citava apenas pessoas infectadas) e o aumento do número de participantes – no projeto constava 200, mas a terapia foi usada com quase 700 pessoas.

  • A Prevent Senior, que tem muitos clientes com idades mais avançadas e foi uma das instituições que mais registraram mortes no início da pandemia, se tornou uma das referências do uso da cloroquina contra a Covid-19 no país. Além de prescrever a droga para qualquer pessoa que relate sintomas de Covid-19 em uma das 5 000 teleconsultas feitas em média por mês, o grupo enviava para a casa dos pacientes um kit contendo esse remédio junto a um conjunto de suplementos vitamínicos e alimentares. Segundo a Prevent Senior, a prática foi abolida há dois meses, pois não fazia mais sentido por questões logísticas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade