Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O que ainda falta para emplacar a CPI contra Ricardo Salles

Oposição no Congresso já conseguiu recolher 100 assinaturas nas últimas semanas a favor da instalação do processo

Por Juliana Castro Atualizado em 11 Maio 2021, 18h46 - Publicado em 11 Maio 2021, 18h25

A oposição segue trabalhando para implantar na Câmara dos Deputados uma CPI dos crimes ambientais. Se ela sair do papel, terá como um dos alvos o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e sua atuação à frente da pasta. A ideia começou a ser articulada há duas semanas e 100 parlamentares já assinaram o documento a favor da instalação da comissão.

Segundo as contas dos partidos opositores ao governo Bolsonaro, eles teriam garantidos mais outros 30 votos pró-CPI. Mas a parte mais difícil começa agora para chegar ao número mágico de 171. Para isso, a oposição precisaria buscar 41 votos em legendas como o PSDB, Cidadania, DEM, além de apoios avulsos.

Um dos ministros do governo Jair Bolsonaro mais criticados pela oposição, Salles é acusado de realizar um desmonte nos órgãos de controle ambiental e, mais recentemente, de ter se colocado a favor de empresários que tiveram carga confiscada pela Polícia Federal do Amazonas na Operação Handroanthus GLO, a maior ação de apreensão de madeira ilegal do país. O ministro foi duas vezes ao Pará, em apoio às demandas dos madeireiros e colocou em xeque as investigações.

  • O responsável pela investigação do caso, o delegado da PF Alexandre Saraiva, disse à Comissão de Direitos Humanos e de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, no fim de abril, que o ministro tentou “legitimar” a ação de criminosos que atuam no mercado ilegal de madeiras extraídas da Amazônia. Saraiva foi exonerado do posto de superintendente da PF no Amazonas por decisão do governo, dias depois de ter enviado uma notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal contra Salles por sua atuação a favor dos empresários alvos da PF.

    Continua após a publicidade
    Publicidade