Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Líder do PSOL pede que seleção abandone ‘bolsonarista mimado’ Neymar

Juliano Medeiros, presidente da sigla, diz que jogadores devem deixar Singapura após declarações do atacante

Por Da Redação - Atualizado em 10 out 2019, 06h43 - Publicado em 10 out 2019, 00h15

O presidente nacional do PSOL, o historiador Juliano Medeiros, defendeu que jogadores abandonem a seleção brasileira após declarações de Neymar, a quem chamou de “bolsonarista mimado”. Em Singapura para a disputa de amistoso do Brasil contra Senegal na manhã desta quinta, o atacante do PSG disse ser justo receber um tratamento diferenciado no time e que “já carregou a seleção nas costas várias vezes”.

“Se eu fosse jogador da seleção brasileira, pegava um avião hoje mesmo e partia de Singapura. O desrespeito desse bolsonarista mimado não tem limites”, tuitou Medeiros.

Neymar possui bom relacionamento com o presidente Jair Bolsonaro, que o visitou no hospital após contusão às vésperas da Copa América e partiu em sua defesa quando o jogador foi acusado de estupro pela modelo Najila Trindade. O inquérito contra o atacante foi arquivado pela Justiça por falta de provas e, atualmente, Najila é processada por suposta fraude no caso.

Historiador gaúcho de 35 anos, Juliano Medeiros foi eleito presidente nacional do PSOL no final de 2017 e coordenou a campanha de Guilherme Boulos à presidência em 2018. Em seu Twitter por vezes manifesta opiniões sobre futebol, além dos temas políticos. 

Também nesta quarta, comentou sobre o momento do Internacional, que foi derrotado pelo CSA durante a noite. “Como o Internacional vibrante do primeiro semestre se tornou esse time chato, burocrático, previsível, sem brilho?”, questionou aos seguidores.

Publicidade