Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Justiça dá razão ao MBL e confirma multa de R$ 5 mil a Guilherme Boulos

Candidato à prefeitura de São Paulo em 2020, o político do PSOL divulgou uma enquete eleitoral fora do período permitido pela legislação

Por Edoardo Ghirotto 27 Maio 2021, 17h19

O juiz eleitoral Marco Antonio Martin Vargas negou nesta quinta-feira, 27, um recurso apresentado por Guilherme Boulos e confirmou a condenação do ex-candidato do PSOL à prefeitura de São Paulo ao pagamento de uma multa de 5 mil reais. A sentença diz respeito à divulgação do resultado de uma enquete eleitoral fora do período permitido pela legislação.

Boulos havia compartilhado nas redes sociais uma pesquisa do site Radar Urbano em que aparecia como líder das intenções de voto na corrida pela prefeitura. O magistrado afirmou na sentença que a divulgação do resultado caracterizou propaganda eleitoral irregular.

A ação foi movida por dois representantes do Movimento Brasil Livre (MBL): o advogado Rubens Nunes, eleito vereador em São Paulo pelo Patriota, e o deputado estadual Arthur do Val (Patriota-SP), conhecido como Mamãe Falei.

Boulos avançou ao segundo turno da eleição para prefeito, mas acabou derrotado por Bruno Covas (PSDB), morto no último dia 16. Já Arthur do Val terminou o pleito em quinto lugar. Tanto Boulos quanto Arthur deverão concorrer em 2022 ao governo do estado de São Paulo.

 

Continua após a publicidade

Publicidade