Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Flávio Bolsonaro deixa grupo de WhatsApp após cobrança sobre ex-assessor

Questionado por apoiadores do presidente eleito sobre as denúncias publicadas no 'Estadão', deputado estadual saiu do grupo sem dar explicações

Por Gabriel Castro - Atualizado em 6 Dec 2018, 16h50 - Publicado em 6 Dec 2018, 16h34

Hiperativa nas redes sociais, a família Bolsonaro amanheceu mais silenciosa nesta quinta-feira, 6. Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo mostra que um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou transações atípicas de 1,2 milhão de reais feitas por um ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro. O valor, movimentado por Fabrício Queiroz entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, seria incompatível com os rendimentos dele. Entre as transações, está a emissão de um cheque de 24.000 reais para a futura primeira-dama Michelle Bolsonaro.

O caso virou assunto em um grupo de WhatsApp formado por apoiadores de Bolsonaro do qual Flávio faz parte. Ou fazia: depois de ver uma cobrança por esclarecimentos, ele decidiu deixar o grupo sem nada dizer.

Flávio Bolsonaro: sem explicações no Whatsapp Reprodução/Reprodução

Mais tarde, o filho do presidente eleito postou uma mensagem genérica em sua página no Twitter: “Fabrício Queiroz trabalhou comigo por mais de dez anos e sempre foi da minha confiança. Nunca soube de algo que desabonasse sua conduta. Em outubro foi exonerado, a pedido, para tratar de sua passagem para a inatividade. Tenho certeza de que ele dará todos os esclarecimentos”.

Publicidade