Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Distribuição de dinheiro alertou TSE para investigar atos de 7 de setembro

Luis Felipe Salomão quer saber quem financia manifestações que atacam sistema eletrônico de votação

Por Leonardo Lellis Atualizado em 15 set 2021, 18h13 - Publicado em 15 set 2021, 18h03

Um vídeo que mostra a distribuição de notas de 100 reais dentro de um ônibus com participantes das manifestações de apoio ao governo de Jair Bolsonaro no dia 7 de setembro acendeu o alerta do Tribunal Superior Eleitoral para investigar quem financiou os atos.

Por essa razão, o corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Luis Felipe Salomão, decidiu incluir as informações a respeito das manifestações em um inquérito que apura ataques ao sistema eletrônico de votação e a legitimidade das Eleições de 2022.

O objetivo agora, segundo o ministro, é descobrir se as manifestações foram financiadas por empresários ou políticos, apurar se houve pagamento de transporte e hospedagem aos participantes e se houve campanha eleitoral antecipada.

Em seu despacho, Salomão descreve o vídeo em que aparece um homem com camiseta de apoio ao voto impresso distribuindo dinheiro vivo aos passageiros de um ônibus, enquanto um deles afirma ter recebido o dinheiro e a mesma camiseta para participar dos atos. 

“Há também notícias nos grandes veículos de comunicação e redes sociais, que apontam que foram confeccionados bonés e roupas, com a mesma finalidade e com eventual intuito eleitoral, o que pode ainda caracterizar possível campanha eleitoral antecipada”, disse Salomão.

O inquérito foi aberto pela corte para investigar as acusações apresentadas pelo presidente Jair Bolsonaro de que as urnas eletrônicas foram fraudadas nas últimas eleições e que são passíveis de irregularidades no pleito de 2022.

Foi no curso dessas investigações que, a pedido da Polícia Federal, Salomão determinou o bloqueio de repasses de dinheiro de redes sociais para canais investigados por propagação de informações falsas sobre as eleições brasileiras.

Continua após a publicidade
Publicidade