Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Depoimento de Marcelo Queiroga na CPI é marcado para 18 de outubro

Ministro da Saúde foi convocado após ele não cumprir prazo para o envio de informações sobre o planejamento de vacinação contra a Covid-19 para 2022

Por Caíque Alencar Atualizado em 7 out 2021, 15h44 - Publicado em 7 out 2021, 15h21

O depoimento do ministro Marcelo Queiroga (Saúde) à CPI da Pandemia foi marcado para o dia 18 de outubro, mesma data que o relator Renan Calheiros (MDB-AL) deve apresentar o relatório à comissão e véspera para que o texto seja votado. Queiroga foi convocado nesta quinta-feira, 7, após ele não cumprir o prazo de 48 horas para enviar informações a respeito do planejamento de vacinação contra a Covid-19 para 2022. A informação foi confirmada pelo gabinete do senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI, a VEJA. Antes da reconvocação, a CPI havia desistido de chamar Queiroga diante da falta de consenso entre os integrantes

Nas redes sociais, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da comissão, disse que “não poderíamos encerrar essa CPI sem o depoimento de Queiroga”. “Certamente será um dos mais importantes colhidos nesta comissão”, escreveu o parlamentar.

Essa será a terceira vez que o ministro da Saúde vai depor à CPI da Pandemia — as duas outras vezes que ele foi interrogado foram nos dias 6 de maio e 8 de junho. A nova convocação de Queiroga se dá no mesmo dia que a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), órgão consultivo do Ministério da Saúde, retirou da pauta a análise de um estudo de especialistas contra o uso de cloroquina contra a Covid-19 – o remédio já teve comprovada cientificamente sua ineficácia no combate à doença.

Queiroga retornou ao Brasil na última segunda-feira, 4, quatorze dias após anunciar que tinha contraído a Covid-19 e de cumprir o isolamento em um hotel de Nova York, nos Estados Unidos – ele desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos e, da cidade paulista, seguiu em outro voo para Brasília. O ministro testou positivo durante viagem ao país para participar da Assembleia-geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

O presidente da comissão criticou a postura de Queiroga ao ser infectado pelo novo coronavírus durante viagem aos Estados Unidos, no final de setembro. O ministro compartilhou em uma rede social, na época, um comentário de um internauta que, segundo Aziz, questionava a eficácia das vacinas.

“No dia em que foi acometido de Covid, o ministro repostou uma mensagem de uma pessoa dizendo: ‘O senhor não foi vacinado? Tomou as duas doses e pegou covid mesmo assim?’. Ministro Queiroga, a gente não esqueceu que o senhor repostou isso. Se o senhor passou 15 dias nos EUA e já está aqui no Brasil, é porque teve a oportunidade de tomar a vacina. Por isso o senhor está vivo”, afirmou o senador.

Continua após a publicidade

Publicidade