Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

CPI da Pandemia aprova nova convocação de Marcelo Queiroga

Ministro da Saúde será ouvido em data que será definida pelo senador Omar Aziz, presidente do órgão colegiado

Por Caíque Alencar Atualizado em 7 out 2021, 12h28 - Publicado em 7 out 2021, 11h32

A CPI da Pandemia convocou nesta quinta-feira, 7, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para prestar novo depoimento ao órgão colegiado. A data para ouvir o chefe da pasta será definida pelo senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da comissão. A votação do pedido de convocação, de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), ocorreu antes do início das inquirições do ex-médico da Prevent Senior, Walter Correa de Souza Netto, e do paciente Tadeu Frederico de Andrade.

No requerimento protocolado junto à CPI, Vieira afirma que a convocação de Queiroga é necessária “para que seja possível esclarecer recente recomendação do Ministério da Saúde para que Estados e Municípios suspendam a vacinação contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos, bem como para que preste informações acerca
do planejamento vacinal para o ano de 2022″. “Ministro, se o senhor passou quinze dias nos Estados Unidos e já está aqui no Brasil é porque o senhor teve a oportunidade de tomar a vacina. Por isso é que o senhor está vivo”, disse Aziz. Essa será a terceira vez que o ministro vai depor à CPI.

A convocação de Queiroga foi aprovada dois dias após a comissão pedir informações ao Ministério da Saúde sobre o planejamento para vacinação contra a Covid-19 em 2022 – ele tinha 48 horas para dar resposta. Antes do pedido, a CPI havia desistido de reconvocar Queiroga diante da falta de consenso entre os integrantes. “Nós não vamos mais ouvir o Queiroga, mas temos muita coisa a perguntar para ele. Então o ideal é que nós aprovemos questionários e esses questionários sejam mandados ainda hoje que nós temos tenhamos essa resposta até o final da semana”, afirmou o relator Renan Calheiros (MDB-AL) na ocasião.

Nesta quinta-feira, 7, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), órgão consultivo do Ministério da Saúde, retirou da pauta a análise de um estudo de especialistas contra o uso de cloroquina contra a Covid-19 – o remédio já teve comprovada cientificamente sua ineficácia no combate à doença.

Queiroga retornou ao Brasil na última segunda-feira, 4, quatorze dias após anunciar que tinha contraído a Covid-19 e de cumprir o isolamento em um hotel de Nova York, nos Estados Unidos – ele desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos e, da cidade paulista, seguiu em outro voo para Brasília. O ministro testou positivo durante viagem ao país para participar da Assembleia-geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Continua após a publicidade

Publicidade