Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Com Felipe Melo e Pato e sem Weintraub: como foi a posse de Fábio Faria

Novo ministro das Comunicações é oficializado no posto com presença dos líderes do Centrão, Rodrigo Maia e Dias Toffoli

Por Eduardo Gonçalves - Atualizado em 17 Jun 2020, 14h44 - Publicado em 17 Jun 2020, 13h45

A ausência e presença de certos convidados na posse de novos integrantes do governo geralmente dizem mais do que os discursos proferidos na cerimônia, que se baseiam em elogios e cumprimentos protocolares. No evento, que formalizou a nomeação do novo ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD-RN), nesta quarta-feira, 17, não foi diferente.

ASSINE VEJA

Os desafios dos estados que começam a flexibilizar a quarentena O início da reabertura em grandes cidades brasileiras, os embates dentro do Centrão e a corrida pela vacina contra o coronavírus. Leia nesta edição.
Clique e Assine

A ausência mais notada foi a do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que está na corda bamba no posto após ter criado atritos com o Supremo Tribunal Federal e as alas política e militar do governo Bolsonaro. Na sua agenda oficial, constava apenas “despachos internos”.

Em contrapartida, os líderes do Centrão tomaram assento especial no evento, como o presidente do PSD, Gilberto Kassab, e o presidente do Progressistas, senador Ciro Nogueira (PI). Também compareceram o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chamado pelo novo ministro de “amigo há mais de 14 anos”; e do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, a quem Faria se disse “honrado” pela presença.

Celebridades do mundo do futebol também marcaram presença. O jogador do Palmeiras Felipe Melo e do São Paulo Alexandre Pato foram anunciados no microfone, representando “os jogadores de futebol”. O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, também foi lembrado.

Continua após a publicidade

Apelo ao diálogo

No discurso, Faria fez um apelo ao diálogo nesse “grave momento” de pandemia e instabilidade política. “Se é tempo de levantarmos a guarda contra o novo coronavírus, também é hora de um armistício patriótico e deixarmos a arena eleitoral para 2022”, disse ele. “Deixemos as nossas diferenças político-ideológicas de lado para enfrentarmos esse inimigo invisível comum que, lamentavelmente, tem tirado a vida de milhares de pessoas e gerado danos incalculáveis à economia. É hora de pacificar o país”, completou.

Uma presença esperada era a do sogro de Faria, o dono do SBT Silvio Santos, que está de quarentena em São Paulo e não foi. Mas sua esposa, Patricia Abravanel, com o filho, estavam lá para prestigiar a posse.

Publicidade