Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Maquiavel Por Coluna A política e seus bastidores. Informações sobre Planalto, Congresso, Justiça e escândalos de corrupção. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Carga de oxigênio da Venezuela chega a Manaus; Bolsonaro ironiza

Cinco caminhões trouxeram 136.000 metros cúbicos do produto destinados por Nicolás Maduro; governo brasileiro tenta empréstimo de um avião dos EUA

Por Eduardo Gonçalves, em Manaus Atualizado em 20 jan 2021, 20h01 - Publicado em 20 jan 2021, 11h06

Após percorrerem mais de 1.500 quilômetros de estrada, um comboio de cinco caminhões chegou de Bolívar, na Venezuela, a Manaus, na noite desta terça-feira, 19, transportando 136.000 metros cúbicos de oxigênio. A carga será usada para aliviar a crise de desabastecimento do insumo elementar no sistema de saúde do Amazonas — que agravou a crise vivida em razão da pandemia da Covid-19 — e foi divulgada com estardalhaço pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que constantemente troca farpas com o presidente Jair Bolsonaro.

Nesta segunda-feira, dia 18, o presidente Jair Bolsonaro desdenhou da ajuda venezuelana, dizendo que Maduro deve ter realmente um “grande coração”, porque “ele tem 200 quilos” (se referindo ao peso do chefe do Executivo venezuelano).” Se o Maduro quiser oferecer pra gente, beleza, vamos receber, sem problema nenhum. Agora, ele poderia dar auxílio emergencial para o seu povo também. O salário mínimo lá não compra meio quilo de arroz”, disse o presidente a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada

  • O governo Bolsonaro, por outro lado, está tratando com a embaixada norte-americana o empréstimo do avião Galaxy, da Força Aérea dos Estados Unidos, para fazer o transporte de cilindros de oxigênio no Brasil. Na última segunda-feira, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que ainda não tinha “data certa” para a disponibilização da aeronave. “Estamos negociando para fazer a ponte Miami-Manaus”, disse ele.

    .

    Continua após a publicidade
    Publicidade